Olimpíadas 2020 dia #11: Brasil vence Egito e vai à semifinal no futebol

Dia do Brasil teve bronze inédito no tênis com a dupla Pigossi e Stefani e classificação às finais do do salto com vara e do arremesso de peso no atletismo

Douglas Vieira, Leandro Silveira, Marcelo Tuvuca, e Paulo Junior, colaboração para a CNN; Daniel Fernandes e Wellington Ramalhoso, da CNN

Ouvir notícia

 

Jogadores do Brasil comemoram gol contra Egito nas quartas de final do futebol
Jogadores do Brasil comemoram gol contra Egito nas quartas de final do futebol masculino
Foto: Martin Mejia – 31.jul.2021/AP

Com relativa tranquilidade e sem sustos, o Brasil eliminou o Egito na manhã deste sábado (31), em Saitama, e se classificou para a semifinal do torneio olímpico de futebol nas Olimpíadas de 2020. O gol da partida, que terminou 1 a 0, foi marcado por Matheus Cunha.

O selecionado egípcio, consciente da inferioridade técnica, optou por uma formação bastante cautelosa, e deixou a bola com o Brasil na maior parte do jogo. Claudinho, aberto pela esquerda na maioria do tempo nas Olimpíadas, atuou mais pelo centro do gramado na noite de Saitama, enquanto Richarlison se movimentou mais e ocupou o corredor esquerdo algumas vezes. Foi nessa formação que o camisa 10 encontrou Matheus Cunha, aos 37 do primeiro tempo, quando o placar sem gols já começava a incomodar os brasileiros. 

Na semifinal, a seleção enfrenta o México, que tirou a Coreia do Sul. A outra semifinal será disputada entre Espanha e Japão.

Stefani e Pigossi ganham bronze inédito no tênis

A primeira medalha do tênis brasileiro na história das Olimpíadas é de Luisa Stefani e Laura Pigossi. Neste sábado (31), elas conquistaram o bronze nos Jogos de Tóquio com a vitória na disputa do terceiro lugar sobre as russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 11/9. 

Luisa Stefani (cima) e Laura Pigossi celebram conquista do bronze em Tóquio
Luisa Stefani (cima) e Laura Pigossi celebram conquista do bronze em Tóquio
Foto: Patrick Semansky – 31.jul.2021/AP

Lideradas por Stefani, a número 23 do mundo no ranking de duplistas da WTA, elas fizeram um duelo equilibrado, após um começo ruim no primeiro set e, principalmente, no match tie-break, em que chegaram a estar perdendo por 7/2. Mas ela fizeram os últimos seis pontos em sequência para alcançar a inédita conquista em uma espetacular virada.

Assim, elas superaram o até então melhor desempenho do tênis brasileiro nas Olimpíadas, o quarto lugar de Fernando Meligeni em 1996, nos Jogos de Atlanta. 

Djokovic sem Golden Slam e sem medalha

Em outro jogo pelo bronze, o sérvio Novak Djokovic novamente decepcionou. O sonho do Golden Slam – os títulos dos 4 torneios Grand Slam e Olimpíadas na mesma temporada – já havia ficado para trás com uma derrota para o alemão Alexander Zvererev na semifinal. Neste sábado, ele foi derrotado pelo espanhol Pablo Carreno Busta por 2 sets a 1 (6/4, 6/7 e 6/3) e perdeu também a medalha de bronze no simples. O sérvio ainda disputaria o bronze das duplas mistas, mas desistiu da partida alegando uma lesão no ombro esquerdo. O bronze ficou com os australianos John Peers e Ashleigh Barty.

Novak Djokovic perde a disputa do bronze nas Olimpíadas 2020
Novak Djokovic durante a derrota para Pablo Carreno Busta na disputa do bronze nas Olimpíadas 2020
Foto: Seth Wenig – 31.jul.2021/AP

Brasil em duas finais no atletismo

No segundo dia de disputas do atletismo nas Olimpíadas de 2020, o Brasil garantiu duas vagas em finais. Thiago Braz, medalha de ouro no Rio, em 2016, alcançou a marca de 5,75 para seguir na disputa por um novo pódio olímpico.

No arremeso de peso, Izabela da Silva, com a marca de 61,52 metros, já garantiu a melhor posição do Brasil na história da modalidade nos Jogos ao avançar para a final na última das 12 vagas. Andressa Morais e Fernanda Martins ficaram pelo caminho.

Thiago Braz foi à final do salto com vara nas Olimpíadas
Thiago Braz foi à final do salto com vara nas Olimpíadas
Foto: Wander Roberto/COB

Paulo André na semifinal nos 100m rasos

Paulo André Camilo garantiu presença nos 100 m rasos, uma das provas mais tradicionais do atletismo. Na classificação geral, o brasileiro terminou em 26.º, mas como os três primeiros de cada bateria garantem vaga automaticamente, disputará uma vaga na grande final. O corredor terminou em 3º na bateria em que garantiu vaga. Felipe Bardi e Rodrigo Nascimento, que também disputaram baterias eliminatórias, ficaram de fora, assim como Alexsandro Melo e Samory Uiki no salto em distância.

Foi diferente. Tive que mudar a estratégia no meio da prova. Tive uma boa saída, mas uma má aceleração. Quando eu consegui acompanhar, eles fugiram um pouco e foi o momento que pensei em tranquilizar mais e atacar no final para poder passar

Paulo André, após a classificação
Velocista Paulo André avança para a semifinal dos 100m rasos em Tóquio
Velocista Paulo André avança para a semifinal dos 100m rasos em Tóquio
Foto: Wagner Carmo – 31.jul.2021/CBAt

As três semifinais da prova serão disputadas neste domingo (1), às 7h15, 7h23 e 7h31 (horário de Brasília). Já a final dos 100m rasos, que definirá o homem mais rápido do mundo – na primeira edição dos Jogos desde 2004 sem a participação da estrela jamaicana Usain Bolt –, está marcada para 9h50.

Brasil segue bem no boxe

O carioca Wanderson de Oliveira teve um combate duro com o bielorrusso Dzmitry Asanau neste sábado (31), mas venceu por decisão dividida dos juízes (3 a 2) e está nas quartas de final da categoria leve (até 63 kg). A luta foi equilibrada – os árbitros se dividiram na decisão em todos os rounds. Wanderson ganhou o primeiro e o terceiro e foi derrotado no segundo, sempre pelo placar de 4 a 1.  “Eu, julgando minha luta, achei que tive um bom desempenho. Consegui me impor”, contou Wanderson ao Olimpíada Todo Dia.

Eu achei que tinha levado o segundo round, mas já que os árbitros não deram, tudo bem. Fiquei em pé, conversando com os treinadores, eles me passaram o que fazer, uma tática boa para não se repetir o resultado do segundo round. Foi isso e deu certo

Wanderson de Oliveira, após a vitória
Wanderson de Oliveira acerta soco em boxeador russo
Wanderson de Oliveira acerta o russo Dzmitry Asanau, em luta que valeu vaga na semifinal do boxe
Foto: AP Photo/Themba Hadebe

Nas quartas, o brasileiro tem outro duelo duro: o rival é o cubano Andy Cruz, atual campeão mundial da categoria. Se vencer, Wanderson vai à semifinal e garante a segunda medalha do boxe brasileiro nas Olimpíadas 2020 — a primeira foi assegurada ontem por Abner Teixeira na categoria até 91 kg. Outros dois brasileiros estão nas quartas: Bia Ferreira (até 60 kg) e Hebert Conceição (até 75kg).

Brasileiras assumem liderança do grupo no vôlei

O jogo era contra a Sérvia, líder do grupo A e atual campeã mundial. A partida marcaria também a estreia de Roberta como levantadora titular, após a lesão de Macris, que segue fora do time, em tratamento. Era o duelo mais difícil, mas a seleção brasileira de vôlei fez uma grande partida, venceu por 3 sets a 1 (25/20, 25/16, 23/25 e 25/19) e assumiu a liderança da chave. Tandara foi a maior pontuadora da partida, com 19 pontos. 

Jogadores do vôlei feminino do Brasil comemoram ponto se abraçando na quadra
Seleção feminina do Brasil conseguiu grande vitória contra a Sérvia, assumindo a liderança do grupo A
Foto: AP Photo/Manu Fernandez

Simones Biles desiste de mais finais

A equipe de ginástica artística dos Estados Unidos anunciou que Simone Biles desistiu de participar de finais da modalidade que serão disputadas neste domingo (1º) nas Olimpíadas de 2020. Com isso, a norte-americana não disputará as provas do salto, na qual a brasileira Rebeca Andrade, que já conquistou uma medalha de prata no individual geral, luta por um lugar no pódio. Simone Biles seguirá em avaliação diária para “determinar se competirá nas finais do solo (na segunda-feira, 2) e da trave (na terça-feira, 3)”.

Simone Biles em Tóquio
A ginasta americana Simone Biles, favorita ao ouro em todas as categorias de ginástica artística, tem enfrentado problemas de saúde mental nos Jogos de Tóquio
Foto: Tom Weller/Getty Images

Judô do Brasil fica sem medalha por equipes

O judô brasileiro se despediu das Olimpíadas sem conseguir chegar à disputa por medalhas na competição por equipes mistas, torneio estreante nos Jogos. Na madrugada deste sábado, a equipe perdeu para a Holanda por 4 a 2, e na repescagem, pouco depois, caiu para Israel pelo mesmo placar. A disputa por equipes leva em conta seis lutas, três masculinas e três femininas – em caso de empate, é sorteada uma luta extra. O Brasil tinha expectativa de chegar no pódio, mas acaba deixando o Japão com apenas duas medalhas, os bronzes de Mayra Aguiar e Daniel Cargnin. O judô vinha conquistando ao menos três pódios desde Pequim, em 2008, e não ficava sem chegar às semifinais desde Atenas, em 2004.

Bruno Fratus vai à final na natação

Pela terceira vez consecutiva, o brasileiro Bruno Fratus está na final dos 50 metros livre nas Olimpíadas. Quarto colocado em 2012 e sexto em 2016, ele vai buscar a sua primeira medalha após avançar em terceiro lugar nas semifinais, com a marca de 21s67. Nas semifinais, ele só não foi tão rápido quanto o norte-americano Caeleb Dressel e o francês Florent Manaudou. E fez o mesmo tempo que o grego Kristian Gkololomeev. Tentando superá-los, Fratus voltará à piscina em Tóquio às 22h30 (horário de Brasília) deste sábado.

Bruno Fratus salta na piscina nas semifinais das Olimpíadas de Tóquio
Segundo colocado em sua série, Bruno Fratus avançou à final com o 3º melhor tempo dos 50 metros livre
Foto: Gaspar Nóbrega / COB / Divulgação

Handebol perde e terá ‘final’ contra Espanha

O Brasil perdeu por 34 a 31 para a Suécia na quarta rodada do handebol feminino e agora tem um jogo com clima de mata-mata contra a Espanha, na última partida da primeira fase, para avançar às quartas de final dos Jogos Olímpicos. No último jogo do Grupo B, na noite de domingo, Brasil e França fazem um confronto direto pela vaga. Ambas têm três pontos, e quem perder estará eliminada. 

Eduarda segura a bola entre duas jogadoras da Suécia de handebol
Eduarda tenta romper defesa da seleção da Suécia no handebol
Foto: AP Photo/Sergei Grits

Dupla do vôlei de praia perde, mas passa

Na areia, a dupla formada por Ana Patrícia e Rebecca perdeu por 2 sets a 1, de virada, para as norte-americanas Claes e Sponcil na última rodada da fase de grupos do vôlei de praia. Depois de vencer o primeiro set por 21 a 17, as brasileiras perderam os seguintes por 21 a 19 e 15 a 11. Mesmo assim, Ana e Rebeca se classificaram para a segunda fase sem precisar disputar a repescagem porque ficaram entre as melhores terceiras colocadas.

Rebecca e Ana Patrícia, do vôlei de praia
Rebecca mergulha em lance do jogo com os EUA no vôlei de praia; apesar da derrota, ela e Patrícia se classificaram para as oitavas de final
Foto: Petros Giannakouris/AP

Nas oitavas de final, às 22h deste sábado (31), elas vão enfrentar as chinesas Wang e Xia, campeãs do grupo de Agatha e Duda, a outra dupla brasileira. A partir de agora a competição é eliminatória. Uma derrota representa a eliminação das Olimpíadas.

Os medalhistas de ouro desde sábado

O dia do Brasil nas Olimpíadas

 

Mais Recentes da CNN