Ômicron: CBF estuda flexibilizar medidas em jogos de futebol a partir de março

Cartolas da entidade confirmaram que o assunto será discutido em reunião na Confederação nesta terça-feira (15)

Obrigatoriedade da comprovação vacinal contra Covid-19, no entanto, será mantida em todos os estádios do Brasil
Obrigatoriedade da comprovação vacinal contra Covid-19, no entanto, será mantida em todos os estádios do Brasil ESTADÃO CONTEÚDO

Lucas Janoneda CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Prevendo uma redução de casos de Covid-19, os dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estudam flexibilizar parte das medidas restritivas impostas ao público em partidas dos campeonatos nacionais. A CNN confirmou com cartolas da entidade que o tema será abordado em uma reunião marcada para esta terça-feira (15).

A ideia dos dirigentes da CBF é retirar a obrigatoriedade do teste antígeno aos torcedores a partir do próximo mês em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, que têm previsão de início nos dias 23 e 23 de fevereiro.

Atualmente, o “Guia Médico de Medidas Protetivas para o Futebol Brasileiro 2022” exige a realização do RT-PCR.

A obrigatoriedade da comprovação vacinal contra Covid-19, no entanto, será mantida em todos os estádios do Brasil. Assim como a utilização de máscara de proteção facial. É o que garante o presidente da Comissão Nacional de Médicos de Futebol (CNMF) e membro do comitê da CBF, Jorge Pagura.

“Percebemos ainda situação delicada da pandemia e qualquer flexibilização vai depender do cenário epidemiológico. Mas, ao mesmo tempo, já percebemos um arrefecimento no número de casos de Covid. Portanto, a expectativa é que no momento adequado, que acreditamos ser em março, ocorra a flexibilização de algumas medidas. Mas sempre mantendo a obrigatoriedade do passaporte vacinal”, destacou Pagura.

A decisão final das medidas sanitárias adotadas nos estádios brasileiros é das prefeituras e das unidades federativas.

Protocolo da CBF

Influenciado pelo alto número de casos causados pela Ômicron, o protocolo divulgado pela CBF arroxou medidas restritivas no início de 2022. Na ocasião, a ideia era intensificar o controle de acesso dos torcedores aos estádios para evitar a explosão de contaminações pela nova cepa.

“No início do ano, o protocolo foi rígido, porque estávamos em um momento difícil da pandemia. Estamos sempre acompanhando os resultados epidemiológicos desde o início do ano, utilizando como referência os campeonatos estaduais, que foram realizados em todas as partes do Brasil. Acredito que o protocolo foi um sucesso”, finalizou o presidente da CNMF.

Mais Recentes da CNN