Organizadores estimam que adiamento dos Jogos de Tóquio custou US$ 1,9 bilhão

Segundo estimativa publicada em jornal, adiamento de Tóquio 2020 por conta da pandemia custou cerca de 200 bilhões de ienes (US$ 1,9 bi ou mais de R$ 69 bi)

Olimpíada de Tóquio seria realizada de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, mas foi adiada para 23 de julho a 8 de agosto de 2021
Olimpíada de Tóquio seria realizada de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, mas foi adiada para 23 de julho a 8 de agosto de 2021 Foto: Denis Balibouse - 24.mar.2020/ Reuters

Por Junko Fujita,

da Reuters

Ouvir notícia

O adiamento da Olimpíada de Tóquio neste ano por causa do novo coronavírus custou cerca de 200 bilhões de ienes (US$ 1,9 bilhão ou mais de R$ 10 bilhões) pela estimativa dos organizadores, relatou o jornal Yomiuri neste domingo (29), citando pessoas envolvidas no evento.

O Comitê Olímpico Internacional e o governo japonês foram forçados a adiar os Jogos por um ano em março, à medida em que a Covid-19 se espalhava rapidamente pelo mundo.

Leia também:
Organização da Tóquio 2020 quer evitar quarentena para atletas e funcionários

Presidente do COI diz que Olimpíada não pode ser “feira para manifestações”

Os Jogos custaram 1,35 trilhão de ienes (US$ 13 bilhões ou cerca de R$ 69 bilhões) antes do adiamento, informou o jornal.

O comitê organizador decidirá sobre o peso do atraso em dezembro, após discussões entre o comitê, o governo metropolitano de Tóquio e o governo central, disse o jornal.

Os custos de adiamento incluem o pagamento aos funcionários, bem como a introdução de novos sistemas para reembolso de passagens, mas não incluem medidas contra a disseminação do vírus, disse o jornal.

Os organizadores haviam estimado originalmente que o atraso custaria cerca de 300 bilhões de ienes, mas eles foram capazes de reduzir esse número simplificando alguns eventos, disse a reportagem.  

Mais Recentes da CNN