Rio rejeita proposta de liberação de 50% do público para final da Copa América

Pedido feito pela Conmebol foi rejeitado pela Secretaria Municipal de Saúde

Brasil disputou a semifinal da Copa América com a seleção do Peru
Brasil disputou a semifinal da Copa América com a seleção do Peru Foto: Alexandre Brum/Estadão Conteúdo

Stéfano Salles,

da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A secretaria municipal de Saúde do Rio de Janeiro rejeitou a solicitação da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para realizar a final da Copa América com 50% de público, no Maracanã. A decisão acontece sábado (10), e reunirá as principais seleções da confederação: Brasil e Argentina, às 21h.    

A informação foi confirmada à CNN pelo secretário municipal de Saúde Daniel Soranz. Segundo ele, a proposta é completamente inviável de ser aplicada na capital do estado.    

“Não tem a menor condição de liberar 50% de público na final da Copa América ou para qualquer jogo neste momento. É inviável e já foi completamente rejeitado. Sendo assim, valem as normas já estabelecidas”, afirma Soranz.    

O pedido da Conmebol foi feito há cinco dias. Neste momento, a legislação proíbe a presença de público em jogos de futebol no Rio de Janeiro. No entanto, a entidade buscava contornar a situação, como conseguiu em janeiro, com a liberação de 10% da capacidade de público do Maracanã para a decisão da Copa Libertadores da América, entre Palmeiras e Santos.    

Na ocasião, foi liberada a presença de até 7,8 mil convidados, sem venda de ingressos. Na disputa paulista, o Palmeiras levou a melhor sobre o rival, conquistou sua segunda Taça Libertadores da América e se classificou para o Mundial de Clubes. Apesar da negativa com relação à proposta feita pela Conmebol, a presença de público não está totalmente descartada.    

“No formato proposto, não há a menos condição. Vamos avaliar um novo protocolo, mas o que vale até o momento são as normas já definidas”, conclui Soranz.    

Do início da Copa América até a última terça-feira (6), o Ministério da Saúde registrou 164 casos de Covid-19 na competição. Até àquela data, foram realizados 25.795 testes de RT-PCR entre jogadores, integrantes das delegações, prestadores de serviços e membros da Conmebol. A entidade anunciou a doação de 20 mil vacinas contra a Covid-19, da Coronavac, ao país, como forma de agradecimento por ter sediado a competição.    

Antes da decisão, Peru e Colômbia jogam nesta sexta-feira (9), no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, na disputa pelo terceiro lugar. 

Procurados, Conmebol, Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Associação de Futebol Argentino (AFA) e governo do Rio de Janeiro não se manifestaram sobre o assunto até o momento.

Mais Recentes da CNN