Seleção da Colômbia comunica dois casos de Covid-19 na equipe

Membros que testaram positivo estão isolados e assintomáticos

Copa América 2021
Copa América 2021 Foto: Reprodução/Twitter/Conmebol

Ana Carolina Nunes, da CNN Brasil, em São Paulo*

Ouvir notícia

Mais uma seleção, depois de Venezuela e Bolívia, comunica casos de Covid-19 em sua equipe enviada ao Brasil para a Copa América, que começa neste domingo (13). Agora, a Colômbia anunciou dois casos positivos após a realização de exames RT-PCR. Seriam o assistente-técnico Pablo Román e o fisioterapeuta Carlos Entrena.

De acordo com o comunicado, ambos estão assintomáticos. Seguindo os protocolos de segurança, os profissionais permacerão isolados no hotel e, após 10 dias, se reintegrarão à equipe, após certificada as boas condições de saúde.

No último sábado (12), a Bolívia e a Venezuela anunciaram casos de Covid-19 em seus grupos. São quatro bolivianos, sendo três atletas e um integrante da comissão técnica. Já a Venezuela, que enfrenta o Brasil na abertura da competição neste domingo, confirmou 11 casos na manhã de ontem, número que posteriormente subiu para 13, também entre jogadores e staff. A partida de abertura entre venezuelanos e brasileiros será neste domingo (13), em Brasília.

Vale lembrar que a Colômbia era o país que sediaria a Copa América 2021. Mas a pandemia, aliada a uma crise política interna, levam o país a abrir mão de abrigar a competição. O ministro dos Esportes da Colômbia, Ernesto Lucena, pediu à Conmebol que torneio fosse adiado para novembro para que os torcedores pudessem frequentar os estádios. A entidade, no entanto, disse que a transferência seria impossível por “razões relacionadas ao calendário internacional de competições e à logística do torneio”.

Conmebol

A Conmebol divulgou neste domingo (13) uma carta aberta à opinião pública afirmando estar “plenamente consciente da situação que o continente está atravessando no contexto da pandemia”. A carta, com o título “Vibra o continente com a Copa América”, diz ainda que, “com a ajuda de um painel de especialistas e em estreita coordenação com as autoridades sanitárias dos 10 países, projetou e implementou com sucesso rigorosas ações e medidas sanitárias em todos os seus torneios”.

Segundo a Confederação, “as medidas têm uma eficiência muito alta, facilmente verificável com estatísticas.”

Confira a íntegra da carta da Conmebol:

Carta aberta à opinião pública: Vibra o continente com a Copa América

A Copa América, o torneio de seleções mais antigo do mundo, começa hoje com o encontro entre Brasil e Venezuela. Durante um mês, milhões de sul-americanos desfrutarão com alegria e entusiasmo uma competição esportiva do mais alto nível. 

Neste dia de abertura, e diante da difusão de questionamentos infundados, a CONMEBOL quer deixar claros os pilares nos quais se baseia a organização da Copa América 2021:

Responsabilidade

A CONMEBOL está plenamente consciente da situação que o continente está atravessando no contexto da pandemia. Também reconhece a importância do futebol na cultura sul-americana e o papel que tem desempenhado na saúde física, mental e espiritual da população desde o início da pandemia. Portanto, com a ajuda de um painel de especialistas e em estreita coordenação com as autoridades sanitárias dos 10 países, projetou e implementou com sucesso rigorosas ações e medidas sanitárias em todos os seus torneios.

Ditas medidas têm uma eficiência muito alta, facilmente verificável com estatísticas. Mais de 99% das dezenas de milhares de testes de detecção do coronavírus foram negativos nos últimos dez meses.

A bolha sanitária à qual as delegações são submetidas envolve minimizar o contato com o exterior, testando todas as pessoas envolvidas nos jogos 48 horas antes de cada partida e transportando as delegações em voos charter.

Além disso, a CONMEBOL é a única confederação no mundo que leva adiante uma vacinação massiva de jogadores, técnicos, árbitros e assistentes.

Profissionalismo

A decisão de realizar a Copa América no Brasil não é caprichosa nem improvisada. No Brasil, estão em andamento torneios nacionais, estaduais e locais, assim como as competições internacionais da CONMEBOL e as Eliminatórias da Copa do Mundo. A CONMEBOL fez um acordo com o governo brasileiro que o país sediará a Copa devido ao acima exposto e ao fato de que a última competição foi realizada em 2019, o que facilita muito a organização. Como a Argentina e a Colômbia foram desqualificadas como sedes, o protocolo da Direção de Competições de Seleções da CONMEBOL prescreve como primeira alternativa a sede do torneio anterior.

A Copa América 2021 não foi feita “às pressas”, o que seria impossível. O torneio levou mais de um ano de intensa organização, com a mobilização de recursos financeiros, humanos e técnicos significativos em todo o continente. Todos os anos, a CONMEBOL organiza um grande número de torneios internacionais de clubes e seleções, futsal e futebol de praia em diferentes categorias, nas modalidades masculina e feminina. Possui uma equipe profissional com vasta experiência e solvência comprovada no projeto e implementação de competições de alta qualidade. O profissionalismo é precisamente a capacidade de enfrentar e resolver rápida e eficientemente os desafios impostos por uma realidade em transformação.

Objetivo esportivo

A Copa América 2021 tem um claro objetivo esportivo: que as seleções nacionais da América do Sul cheguem à Copa do Mundo 2022 com experiência e boa preparação física e técnica, através de um torneio altamente exigente. A CONMEBOL modificou o calendário de competições para conseguir a coincidência entre a Copa América e a Eurocopa. O objetivo de alinhar os dois torneios é minimizar o desgaste físico e mental dos jogadores. Isto beneficia os próprios jogadores, os clubes e as seleções. E, fundamentalmente, os atletas sul-americanos e europeus chegarão à Copa do Mundo em condições de igualdade.

A CONMEBOL levou em conta alguns fatos incontestáveis. Nenhuma equipe sul-americana chegou às semifinais na Rússia 2018 e faz 20 anos desde que a América do Sul não ganha a Copa do Mundo. Até 2002, nosso continente ultrapassou a Europa no número de títulos da Copa do Mundo. Hoje a relação é inversa. É evidente o benefício esportivo que a Copa América terá para as seleções de todo o continente no período que antecede a Copa do Mundo do próximo ano.

Futebol sul-americano é paixão, é entrega, é ousadia. Não hesita diante de rival algum. E a Nova CONMEBOL está nessa mesma sintonia: não se encolhe diante dos desafios que surgirem, por mais difíceis que sejam, porque ACREDITA SEMPRE.”

 

Com informações de Renato Barcellos, da CNN Brasil.

Mais Recentes da CNN