Tandara é suspensa por potencial violação antidoping e está fora das Olimpíadas

Jogadora da seleção feminina de vôlei retorna ao Brasil após a revelação do caso

Leandro Silveira, colaboração para a CNN

Ouvir notícia

A seleção brasileira feminina de vôlei sofreu uma baixa importante antes dos jogos decisivos das Olimpíadas de 2020. A oposta Tandara “violou a regra antidopagem” em teste realizado em Saquarema (RJ), onde a equipe se preparou para a competição, e está suspensa provisoriamente. Ela retorna ao Brasil nas próximas horas. 

Segundo o comunicado divulgado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), a violação ocorreu em 7 de julho, em teste realizado fora do período de competições. Nesta quinta-feira, então, após ser notificado pela  Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) do incidente, o COB determinou o afastamento de Tandara da delegação brasileira nas Olimpíadas de 2020

Em breve nota divulgada nas redes sociais, Tandara declarou, através da sua assessoria de imprensa, que não se pronunciará agora sobre o caso. “A atleta Tandara Caixeta está trabalhando em sua defesa e só se manifestará após a conclusão do caso. Agradecemos o carinho de todos vocês!”, publicou em seu perfil no Instagram. 

Em seu comunicado, o COB não revelou qual infração foi cometida por Tandara ou se alguma substância dopante foi encontrada no exame da jogadora da seleção de vôlei. Mas a jogadora está fora do duelo desta sexta-feira, marcado para as 9h (de Brasília) contra a Coreia do Sul, pelas semifinais das Olimpíadas de Tóquio. Se vencer, o Brasil garante ao menos a medalha de prata e disputa o ouro.

A Confederação Brasileira de Voleibol se pronunciou em uma breve nota sobre a supensão de Tandara. “A CBV lamenta que a atleta, campeã olímpica e uma das principais referências da equipe brasileira, atravesse este momento, e aguarda os resultados dos trâmites processuais, cujo conteúdo é de caráter particular da atleta e confidencial”, disse, em trecho do seu comunicado. 

Campeã olímpica

Tandara, de 32 anos, foi campeã olímpica com a seleção brasileira nos Jogos de Londres-2012. Ela é considerada uma das jogadoras de confiança do técnico José Roberto Guimarães. Também fez parte do time campeão do Grand Prix (a atual Liga das Nações) em 2011, 2012, 2013, 2014, 2016 e 2017.

Na campanha da seleção de vôlei nesta edição das Olimpíadas, participou dos seis jogos iniciais da equipe, começando como titular em todos. E sua melhor atuação foi contra a Sérvia, quando marcou 19 pontos no triunfo por 3 sets a 1. 

Nas quartas de final das Olimpíadas de Tóquio, porém, foi substituída por Rosamaria, que foi um dos destaques do triunfo por 3 a 1 sobre as russas. Agora, então, Rosamaria deverá assumir de vez a posição, diante da Coreia do Sul e na disputa por uma medalha. 

Confira a nota oficial do COB sobre Tandara:

O Comitê Olímpico do Brasil recebeu nesta madrugada no Japão, através da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), a notificação quanto à suspensão provisória por potencial violação de regra antidopagem pela atleta Tandara Caixeta, da seleção feminina de vôlei. O teste foi realizado no período fora de competição no centro de treinamento da modalidade em Saquarema, no dia 7 de julho. Tandara retornará ao Brasil.

A equipe feminina de vôlei disputa partida semifinal dos Jogos Olímpicos contra a Coreia do Sul na noite desta sexta, 6, às 21h do Japão (9h do Brasil).

 

Mais Recentes da CNN