Tribunal espanhol decide contra Uefa em caso da Superliga Europeia

Tribunal comercial de Madri determinou que a Uefa não pode forçar os organizadores a dissolverem formalmente a Superliga

Sede da UEFA, a federação europeia de futebol, em Nyon, na Suíça
Sede da UEFA, a federação europeia de futebol, em Nyon, na Suíça Foto: Denis Balibouse/Reuters

Belén Carreño, Inti Landauro, Nathan Allen e Richard Martin, da Reuters

Ouvir notícia

Um tribunal da Espanha ordenou nesta quinta-feira (1º) que a Uefa cancele todas as sanções legais impostas a Real Madrid, Barcelona e Juventus por planejarem a criação da Superliga Europeia.

A corte também instruiu a Uefa a não adotar nenhuma medida para tentar excluir os três clubes, que são os últimos dos 12 times originalmente por trás da liga dissidente, de suas competições, incluindo a Liga dos Campeões.

O tribunal comercial de Madri determinou que a Uefa não pode forçar os organizadores a dissolverem formalmente a Superliga, e impediu a entidade de impor uma multa de 100 milhões de euros aos times que tentarem se integrar à liga.

O Campeonato Inglês a e Federação Nacional de Futebol da Itália também devem descartar quaisquer sanções a clubes que inicialmente se filiaram ao projeto, segundo a corte.

Anunciada em abril, a Superliga provocou furor entre torcedores, governos, jogadores e técnicos, e o projeto desandou menos de 48 horas depois de seu lançamento quando os seis times ingleses se retiraram.

Visando dissuadir futuras ligas dissidentes, a Uefa buscou impor penalidades altas aos clubes rebeldes, mas suspendeu procedimentos disciplinares em junho.

Manchester United, Liverpool, Manchester City, Chelsea, Tottenham Hotspur, Arsenal, Milan, Inter de Milão e Atlético de Madri abandonaram o projeto.

Mais Recentes da CNN