Uefa define novas regras de sustentabilidade financeira para clubes europeus

Regulamentação entrará em vigor em junho; equipes não vão poder gastar mais de 70% de suas receitas em elencos

Novas regras irão limitar os gastos com salários, transferências e taxas de agentes
Novas regras irão limitar os gastos com salários, transferências e taxas de agentes FotoEUTERS/Denis Balibouse

Por Simon Evans, da Reuters

Ouvir notícia

De acordo com as novas “regulamentações de sustentabilidade financeira” aprovadas pelo comitê executivo da Uefa nesta quinta-feira (7), os principais clubes europeus serão limitados a gastar no máximo 70% de suas receitas em seus elencos.

A nova política substituirá o sistema anterior de Fair Play Financeiro e introduzirá uma “regra de custos do elenco” que limitará os gastos com salários, transferências e taxas de agentes.

O número de 70% será alcançado após um período de transição de três anos, caindo gradualmente de 90%.

“O primeiro regulamento financeiro da Uefa, introduzido em 2010, cumpriu seu objetivo principal”, disse o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, na reunião do comitê executivo da entidade em Nyon, na Suíça.

“Ele ajudou a recuperar as finanças do futebol europeu e revolucionou a forma como os clubes de futebol europeus são administrados. Entretanto, a evolução da indústria do futebol, juntamente com os inevitáveis efeitos financeiros da pandemia, mostraram a necessidade de uma reforma por atacado e novas regulamentações de sustentabilidade financeira”.

A Uefa acrescentou que os prejuízos aceitáveis duplicarão de 30 milhões de euros em três anos para 60 milhões de euros durante o mesmo período.

A nova regulamentação entrará em vigor em junho de 2022.

Mais Recentes da CNN