Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chelsea vence Al Hilal e será o adversário do Palmeiras na final do Mundial

    Lukaku foi o autor do único gol dos ingleses; disputa pelo título será no próximo sábado (12), às 13h30

    Esta é a segunda vez em que a equipe inglesa chega à final do Mundial de Clubes; na primeira oportunidade, em 2012, foi derrotada pelo Corinthians na última partida
    Esta é a segunda vez em que a equipe inglesa chega à final do Mundial de Clubes; na primeira oportunidade, em 2012, foi derrotada pelo Corinthians na última partida Matthew Ashton - AMA/Getty Images

    Vinícius Tadeuda CNN

    São Paulo

    Em partida válida pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa deste ano, o Chelsea derrotou o Al Hilal, da Arábia Saudita, por 1 a 0 nesta quarta-feira (9), no estádio Mohammed Bin Zayed, nos Emirados Árabes Unidos — sede do torneio. Lukaku foi o autor do gol.

    Com a vitória, os ingleses serão os adversários do Palmeiras na grande final, que será disputada no próximo sábado (12), às 13h30, também no Mohammed Bin Zayed. O time brasileiro já estava classificado para a disputa pelo título desde que derrotou o egípcio Al Ahly por 2 a 0 na tarde de terça-feira (8).

    Da última vez em que chegou à final de um Mundial, em 2012, o Chelsea foi derrotado pelo Corinthians por 1 a 0 na partida final. De todos os europeus que disputaram o torneio no atual formato organizado pela Fifa, os Blues foram os únicos que não o conquistaram.

    O Chelsea chegou na semifinal desta quarta-feira ainda retomando seu ritmo de jogo. Desde o dia 23 de janeiro, os Blues tinham jogado apenas uma partida, pela Copa da Inglaterra.

    Ao contrário da equipe inglesa, o Al Hilal já havia estreado na competição deste ano. Os sauditas golearam o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, por 6 a 1 no último domingo (6), pelas quartas de final.

    Como foi a partida

    Substituindo o treinador alemão Thomas Tuchel, que testou positivo para a Covid-19 e não embarcou para Abu Dhabi, o auxiliar técnico Zsolt Low escalou o Chelsea com força total: Kepa; Christensen, Thiago Silva e Rudiger; Azpilicueta, Jorginho, Kovacic e Marcos Alonso; Ziyech, Havertz e Lukaku.

    O Al Hilal foi a campo com a mesma equipe-base que ganhou de goleada na partida anterior: Al-Mayuf; Al-Burayk, Jang, Al Bulayhi e Al-Shahrani; Cuéllar e Kanno; Al-Dawsari, Matheus Pereira e Marega; Ighalo.

    O jogo começou equilibrado, com o time inglês trocando mais passes no campo de ataque enquanto era vaiado pela torcida adversária presente no local. Já os sauditas não causaram jogadas perigosas.

    Aos 31 minutos da primeira etapa o Chelsea abriu o placar. Após cruzamento de Havertz, o goleiro Al-Shahrani falhou ao tentar afastar a bola e deixou sobrar para o atacante Lukaku, que finalizou de pé direito para balançar as redes.

    O primeiro tempo foi de poucas finalizações em direção ao gol de ambos os lados, no entanto, a equipe inglesa teve mais posse de bola e conseguiu controlar o ritmo da partida. Já o Al Hilal não conseguiu aproveitar suas chances criadas a partir de contra-ataques.

    O Chelsea voltou para a segunda etapa perdendo muitas oportunidades de ampliar o placar nos últimos 45 minutos. No entanto, o time saudita também pressionou e chegou a dar trabalho para o goleiro Kepa, assustando os torcedores dos Blues.

    Em uma chance à queima-roupa, o espanhol fez uma grande defesa contra chute de Marega. Nos minutos seguintes, o goleiro teve que se esticar todo para espalmar a bola no canto esquerdo do gol depois de chute forte de Kanno vindo da intermediária.

    A equipe inglesa teve uma notável queda de desempenho na reta final do jogo e sofreu para manter o resultado, mas o Al Hilal não conseguiu transformar a pressão em gols e acabou não balançando as redes.