Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Diversidade de opções é ponto forte da Seleção Brasileira, diz Marquinhos

    Zagueiro concedeu entrevista coletiva após treino desta quinta (17); para atacante Rodrygo, Brasil "lida de forma tranquila" com favoritismo

    Marquinhos em entrevista coletiva após sessão de treinamento no CT da Juventus, em Turim, na Itália, em 17 de novembro de 2022
    Marquinhos em entrevista coletiva após sessão de treinamento no CT da Juventus, em Turim, na Itália, em 17 de novembro de 2022 Stefano Guidi

    Henrique Sales Barrosda CNN

    Em São Paulo

    O zagueiro Marquinhos apontou, nesta quinta-feira (17), a diversidade de opções à disposição do técnico Tite como o ponte forte da Seleção Brasileira que vai disputar a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

    “Isso favorece muito nosso time e nosso treinador, que é inteligente”, afirmou o defensor em entrevista coletiva logo após o quarto dia de atividades da Seleção em Turim, na Itália – a equipe embarca para o Catar no sábado (19).

    “A gente vê o time preparado, com jogadores que saem e outros que entram e o time seguindo bem armado, com um propósito muito claro”, acrescentou, destacando que os 26 convocados estavam “bem” e “jogando em alto nível” em seus clubes.

    Na Copa, o time mais cotado para Tite levar à campo conta com Alisson Becker no gol; uma linha de quatro na defesa, com Danilo, Thiago Silva, Marquinhos e Alex Sandro; os volantes Casemiro e Fred atuando mais atrás no meio enquanto Raphinha, Neymar e Lucas Paquetá ficariam mais avançados; e Richarlison como centroavante.

    Tite, porém, pode ir com Gabriel Jesus no lugar de Richarlison, colocar Fred no banco e trazer Vinícius Júnior como um atacante a mais no time titular ou colocar Alex Telles na vaga de Alex Sandro (veja o esquema das possíveis escalações abaixo).

    Sobre qual escalação Tite deve usar na estreia do Brasil na Copa, contra a Sérvia, em 24 de novembro, Marquinhos afirmou desconhecer. “Talvez a gente comece um jogo, a competição, com uma formação e termine com outra, como aconteceu nas Olimpíadas (de 2016, no Rio de Janeiro)”, disse.

    Perguntado sobre um possível confronto contra Portugal nas oitavas de final, Marquinhos reconheceu a força do time europeu – “é uma seleção que se espera muito” -, mas afirmou que o foco do Brasil são os primeiros jogos da fase de grupos. “Deixemos isso para depois. Prefiro evitar falar de confrontos futuros”, afirmou.

    Rodrygo, que concedeu entrevista logo após Marquinhos, admitiu o favoritismo do Brasil na Copa, afirmando que a Seleção “lida de forma tranquila” com as expectativas, mas que isso é algo que “só fica aqui fora”. “Dentro de campo, é outra história”, acrescentou.

    Ainda na entrevista, o atacante do Real Madrid também revelou um desejo além do hexacampeonato: que Neymar seja o artilheiro da Copa. “É uma honra poder jogar com ele. Ele ainda é um ídolo para mim”, disse.