Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Goleiro do Ceará sobre ataque ao ônibus do Fortaleza: “Futebol deveria parar”

    Fernando Miguel atuou pelo Leão do Pici nas últimas temporadas

    Fernando Miguel se solidarizou com colegas do rival Fortaleza
    Fernando Miguel se solidarizou com colegas do rival Fortaleza Felipe Santos / Ceará SC

    Marcel Rizzoda Itatiaia

    Fernando Miguel, de 39 anos, esteve em 2022 e 2023 no Fortaleza. Hoje no rival Ceará, o goleiro se manifestou em uma rede social sobre o ataque sofrido pela delegação do ex-clube, quando companheiros de profissão se machucaram após o empate por 1 a 1 contra o Sport, pela Copa do Nordeste, na madrugada desta quinta (22).

    “O futebol brasileiro deveria parar. Não dá para ficar vendo tudo isso e achar que está tudo bem. Risco de vida como esse sobem no Brasil a cada rodada e todos estamos assistindo a uma tragédia anunciadas”, escreveu o jogador.

    Miguel disse que o sentimento é de impotência e que os jogadores não têm mais para onde correr. “A única certeza é que vai acontecer de novo, resta saber com quem”.

    Ele desejou pronta recuperação a seus amigos do Fortaleza.

    O ataque

    A delegação do Fortaleza desembarcou na manhã desta quinta-feira (22) no aeroporto Internacional Pinto Martins, na capital cearense, após o atentado sofrido durante a madrugada. O ônibus da delegação do Fortaleza foi atacado quando deixava a Arena de Pernambuco, na região metropolitana do Recife, e seguia pela BR até o hotel.

    Os seis jogadores que se feririam e foram hospitalizados viajaram com a delegação. João Ricardo, Dudu, Titi, Lucas Sasha e Britez tiveram escoriações. O lateral Gonzalo Escobar levou uma pancada na cabeça. O CEO da SAF do Fortaleza, Marcelo Paz, disse que o clube não pretende voltar a campo enquanto esses atletas estiverem sem pode jogar, e enquanto os culpados pelo crime não forem identificados e presos.

    No Hospital Português, no Recife, Gonzalo Escobar recebeu atendimentos na boca, cortada por cacos de vidro, além de ter sofrido um ferimento no supercílio. Por causa de uma pancada na cabeça, o defensor argentino passou por uma tomografia. Ele passa bem e está consciente

    A CBF soltou uma nota de repúdio, mas sem apresentar ideias do que pode fazer a respeito do caso.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original