Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Marta se emociona com legado e mostra confiança contra Jamaica: “Não vai ser meu último jogo”

    Brasil precisa vencer a Jamaica para garantir uma vaga nas oitavas de final, e estrela da Seleção Brasileira acredita na classificação

    Marta no jogo do Brasil contra a França pela Copa do Mundo Feminina
    Marta no jogo do Brasil contra a França pela Copa do Mundo Feminina Justin Setterfield / Getty Images

    Por Ian Ransom, da Reuters

    A Copa do Mundo Feminina de 2023 vai ser a última Copa de Marta. A Seleção Brasileira, porém, está em em terceiro lugar no grupo F, fora da zona de classificação, e precisa vencer a Jamaica para garantir uma vaga nas oitavas de final. Ainda assim, a Rainha está confiante de que este não será o último jogo dela em Mundiais.

    “Estou tão focada na partida que não parei para pensar que esta pode ser minha última [entrevista] coletiva em uma Copa do Mundo, porque não vai ser. Estou confiante e acredito que vamos seguir na competição”, afirmou Marta nesta terça (1º), véspera do duelo com as jamaicanas.

    A França é líder do grupo com 4 pontos, enquanto a Jamaica ocupa o segundo lugar com a mesma pontuação, mas atrás no saldo de gols. O Brasil tem 3 pontos e está à frente somente do Panamá, já eliminado e sem pontuar no torneio.

    A última vez que a Seleção Brasileira não se classificou para as oitavas de final de uma Copa do Mundo Feminina foi em 1995.

    Maior artilheira da história das Copas do Mundo com 17 gols, Marta se emocionou ao falar sobre o legado deixado para o futebol feminino.

    “Há 20 anos, ninguém conhecia a Marta. Em 2022, viramos referência para o mundo inteiro. Não só no futebol, mas no jornalismo também. Hoje, vemos mulheres aqui, o que não tinha antes. Espero ter respondido sua pergunta depois que você me fez chorar.”

    A atacante tem gols em cinco Copas do Mundo, assim como Christine Sinclair, do Canadá, que não marcou na atual edição e já está eliminada do torneio. A brasileira pode ser a primeira atleta, tanto no futebol feminino quanto no masculino, a marcar em seis edições de Copa.

    Veja quem são as maiores artilheiras da história das Copas


    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas