Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Risco de ciclone em Porto Alegre pode adiar Grêmio x Bahia pela Copa do Brasil

    Jogo está agendado para esta quarta-feira (12), na Arena do Grêmio

    Primeira jogo das quartas de final terminou empatado
    Primeira jogo das quartas de final terminou empatado Felipe Oliveira/EC Bahia

    Mauri Dornelesda Itatiaia

    O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), solicitou à CBF o adiamento da partida entre Grêmio e Bahia, marcado para esta quarta-feira, às 19h, na Arena, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil.

    O pedido se deve a um alerta de um ciclone extratropical no Rio Grande do Sul, justamente para esta data.

    “Ainda diante do alerta do ciclone extratropical, enviamos ofício ao Grêmio, FGF e CBF solicitando o adiamento do jogo marcado para a noite desta quarta-feira na Arena. Importante a precaução considerando que envolve deslocamento de milhares de pessoas e mobilização de serviços”.

    De acordo com o MetSul Meteorologia, além do ciclone, uma forte chuva atingirá a Região Metropolitana de Porto Alegre, o litoral e a Serra Gaúcha.

    Em hipótese do adiamento da partida, o Grêmio teria o próximo fim de semana, dos dias 15 e 16, para a disputa do jogo de volta das quartas. A brecha no calendário se dá em razão da partida da 15ª rodada do Brasileiro, contra o Corinthians, que foi adiada.

    Por outro lado, o Bahia tem compromisso diante do Athletico, em Curitiba. A CBF ainda não se posicionou sobre o alerta enviado pelo clube.

    Previsão de estragos no RS

    As autoridades de meteorologia preveem que o novo ciclone extratropical atinja o Rio Grande do Sul na madrugada desta quarta (12), estendendo-se até a quinta-feira (13). O estado de Santa Catarina já foi atingido pela tempestade severa de vento e granizo na manhã desta terça-feira (11), no munício de Herval d’Oeste, na região central. Em Gramado, na Serra Gaúcha, deslizamentos já interromperam o tráfego na ERS-115.

    A MetSul previu também riscos de granizo e raios no estado, com possibilidade de alagamentos, inundações, queda de barreiras e deslizamentos, além da queda de temperatura. A Defesa Civil de Porto Alegre alertou para as rajadas de vento e quedas de árvores na Capital.

    Em junho, outro ciclone extratropical causou destruição no RS, causando 16 mortes. As chuvas estragos em 41 municípios, com 3,7 mil pessoas desabrigadas e cerca de 700 desalojadas.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original