Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Técnico da Argentina espera calma de sua seleção na Copa e elogia Equador

    País estreia contra a Arábia Saudita, no Grupo C, na terça-feira (22)

    Técnico da seleção da Argentina, Lionel Scaloni, durante entrevista coletiva em Doha
    Técnico da seleção da Argentina, Lionel Scaloni, durante entrevista coletiva em Doha REUTERS/Albert Gea

    Javier Leirada Reuters

    A seleção do Equador provou novamente em sua estreia na Copa do Mundo que é uma grande equipe, disse nesta segunda-feira (21), o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, enfatizando que sua equipe terá que lidar com a carga emocional de sua partida de estreia para mostrar até onde pode ir no Catar.

    O Equador derrotou os anfitriões do Catar por 2 x 0 na abertura do Grupo A, no domingo, enquanto a Argentina fará sua estreia na competição contra a Arábia Saudita, no Grupo C, na terça-feira (22).

    “Ontem o Equador ganhou muito bem, eles são uma equipe de muito alto nível. Toda vez que jogamos contra eles, depois de cada jogo eu digo a mesma coisa, os demais acharão difícil enfrentá-los”, declarou Scaloni.

    “Isso não quer dizer que o Catar não seja bom, mas o Equador está em um momento muito bom de forma. Ser favorito ou superior tem que ser provado. Os primeiros jogos têm sempre uma desvantagem contra os outros: a carga emocional é diferente”, avaliou.

    Scaloni observou que a Argentina se livrou de um peso ao vencer a Copa América em 2021, título que encerrou uma série de quase 30 anos sem troféus.

    “Agora a equipe sai para jogar muito mais tranquila, porque a pressão externa de não ter vencido já se foi. Sempre digo aos jogadores –e antes de ganhar também lhes dizia– que amanhã o sol vai nascer novamente e temos que sair e jogar tranquilos, essa é a única maneira de desenvolver nosso futebol e obter resultados”, disse o treinador

    “Agora conseguimos isso e estamos indo para o campo mais tranquilos do que nunca. Essa é a chave para uma Copa do Mundo, para ser livre, além das nuances que um jogo como o de amanhã, que é a estreia, pode ter. Mas a carga emocional é diferente e os jogadores podem expressar e mostrar o futebol que têm dentro deles”, acrescentou.