Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Tiago Nunes é apresentado e explica principal desafio no Botafogo

    Treinador chega com a missão de liderar a recuperação do time carioca no Campeonato Brasileiro

    Matheus Dantasda Itatiaia

    Rio de Janeiro

    Anunciado como técnico e em atividade há uma semana, Tiago Nunes foi oficialmente apresentado pelo Botafogo nesta terça (21), no Estádio Nilton Santos.

    Com a missão de assumir um time na briga pelo título do Brasileirão, mas em queda livre no segundo turno, o treinador destacou que a retomada da confiança é o seu principal objetivo visando os cinco jogos que faltam para o fim da temporada.

    “Primeiro de tudo é passar confiança para que esse grupo entenda que o que fez e está fazendo é um trabalho de alto nível. Não podemos descaracterizar uma temporada por quatro, cinco, seis jogos. É um grupo de boa qualidade técnica, se colocou em condição de ser favorito. O Brasileiro, todos sabem, é difícil e todas equipes oscilam. Algumas oscilam no início, outras na metade, outras no final”.

    “Meu momento é de trazer confiança e mostrar aos atletas e funcionários que o trabalho é de excelência. Nosso objetivo é repetir, dar continuidade ao que foi feito, escolher temas a serem trabalhados, mas, principalmente, retomar a confiança dos jogadores. Fazer com que entendam que os resultados negativos, algumas vezes, não tem a ver só com a performance. Fazê-los enxergar que estão no caminho certo”, respondeu Tiago Nunes, que foi apresentado ao lado de André Mazzuco.

    O diretor de futebol, inclusive, explicou a escolha pelo nome de Tiago Nunes, que assume um time após a rápida passagem de Lucio Flavio, que foi alçado ao cargo após a demissão de Bruno Lage e dispensado do clube após uma sequência de quatro derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro.

    ‘Desejamos todo sucesso. É um profissional com o perfil adequado com o qual pensávamos para a continuidade do clube. Um treinador que vem com duas missões. A primeira, nesse nosso final de competição, nessa guerra, de buscar o título e retomar o caminho. Brigar ao máximo até o final. Para isso, o timing foi perfeito para dar tempo na Data Fifa, nos organizarmos”, afirmou Mazzuco, seguindo.

    “No segundo momento, nesse processo de construção, que se iniciou há 18 meses (início da SAF), temos uma continuidade e queremos que o técnico seja uma de nossas lideranças. Fizemos um processo importante, de apresentar ao Tiago o que o clube pensa, apresentar a forma de trabalhar, e damos a oportunidade do técnico aceitar ou não. Foi assim. Estamos muito felizes. Tem um grande trabalho na formação de atletas e nas equipes profissionais. Mais do que isso, dentro do perfil, caráter, das ideias e da parceria na construção do projeto do Botafogo”, concluiu André Mazzuco.

    Pensamento jogo a jogo

    Depois de um primeiro turno de pontuação recorde e abrir 13 pontos sobre o vice-líder, o Botafogo faz um segundo turno de “Z4”, e enfrentará o Fortaleza, em jogo atrasado da 29ª rodada, como segundo colocado atrás do Palmeiras, com 62 pontos. Se vencer, o Alvinegro vai aos 63 e reassume a liderança.

    Na visão de Tiago Nunes, o pensamento do Botafogo precisa ser de “jogo a jogo”. “Objetivos curtos. São objetivos curtos, metas a curto prazo. Começamos pensando em um treinamento por vez, atingir metas dentro do próprio treino, temos cumprido isso no dia a dia. Os atletas têm conseguido entender, mostrando também a quantidade enorme de acertos que tiveram na temporada, para irem bem contra o Fortaleza. Depois, pensamos no Santos. Antes disso, não falamos no Santos”, explicou.

    Confira as demais respostas de Tiago Nunes, novo técnico do Botafogo:

    Primeiras palavras como técnico

    “Agradecer todo carinho que tenho recebido desde o primeiro momento que se gerou a especulação de que viria para o Botafogo. Encontro com pessoas nas ruas, nas redes sociais. Torcedor, profissionais, amigos, que torcem pelo Botafogo e pelo sucesso desse projeto. Agradecer ao Mazzuco e John Textor pela confiança nesse momento importante do clube. Sabemos da importância do resultado a curto prazo. Dizer ao torcedor que, desde o primeiro momento, não pensamos duas vezes. Acreditamos no projeto, nas pessoas, no grupo de jogadores, um grupo competitivo, de caráter, que trabalha bastante e que merece brigar pelo título, mas também pensando na saúde do clube a médio e longo prazo.”

    Fragilidade defensiva do time nas últimas rodadas

    “A organização ofensiva e defensiva não pode ser balizada apenas pelos números. É importante, mas a parte ofensiva tem uma conexão direta com a parte defensiva. É um trabalho coletivo. Tenho repetido muito aos jogadores que o craque do Botafogo é o coletivo. É uma equipe construída para isso, para ser dinâmica, cooperativa. Quando uma parte não funciona, não podemos responsabilizar um setor. Temos que tentar, a partir desse momento, uma equipe equilibrada e que repita esses comportamentos, que ataca com qualidade e volume, e, ao mesmo tempo, mantenha o equilíbrio defensivo. Para evitar os gols, o homem de ataque tem que dar o combate, manter a equipe compacta.

    Tenho certeza que nos cinco jogos que faltam, dificilmente o Botafogo não vá sofrer gols. Alguma equipe vai fazer gol no Botafogo. Mas temos que estar equilibrados. Meu papel é equacionar isso, trazer a confiança de volta para termos uma reação imediata, que tanto se espera.”

    Projeção do jogo contra o Fortaleza

    “Eu trabalhei no Ceará, conheço muito bem a equipe do Fortaleza e a dificuldade de jogar naquele estádio. É muito difícil. É uma equipe muito agressiva, mas sei que estamos sedentos por um resultado positivo. Parece que condicionamos toda virada de chave neste resultado. Acredito em objetivos curtos. Primeiro de tudo é chegar bem treinado, com uma ideia clara de jogo, cumprir um tempo por vez. A partir disso, se adequar ao o que o jogo apresenta. Não digo que está ai toda retomada, mas é um jogo importante. É o jogo a mais que temos em relação aos demais. Temos que entender que vamos enfrentar um rival pressionado, com uma sequência de resultados negativos. Será um jogo muito parelho.”

    Quais ajustes devem ser feitos na equipe?

    “É tirar do imaginário dos jogadores a ideia de que fizeram quatro, cinco, seis partidas tão ruins. Você jogar mal uma parte do jogo está dentro do contexto do futebol. Discordo que esteve mal em todas vertentes nesses jogos. Tivemos momentos nos quais as coisas não funcionaram bem. Foram momentos difíceis dentro das partidas que fizeram não ter a capacidade de sustentar os resultados. É ter uma mentalidade vencedora.”

    Botafogo já terá a “cara do Tiago Nunes?

    “Seria muita pretensão imaginar que em sete treinamentos eu poderia dizer que o time tem a cara do treinador, independentemente do resultado. O Botafogo tem uma cara própria nesse campeonato, não é necessário explicar pois todos sabem como o Botafogo joga. Eu não estou chegando aqui para fazer nenhuma mudança drástica no que se diz respeito às ideias de jogo. A ideia é tentar aproximar o máximo essa equipe do que ela já fez de melhor na temporada. Competitiva, compacta, coletiva e capaz de conseguir grandes resultados”.

    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original