Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Uniformes cinzas geram desvantagem no esporte? Lenda do futebol pediu estudo para comprovar teoria

    Eliminação do Tottenham ressuscita mito surgido nos 1990, propagado após estudo encomendado pelo ex-técnico Alex Ferguson

    Heung-Min Son e Davinson Sanchez, do Tottenham, lamentam eliminação na Copa da Liga Inglesa
    Heung-Min Son e Davinson Sanchez, do Tottenham, lamentam eliminação na Copa da Liga Inglesa Clive Rose/Getty Images

    Rafael Serrada CNN

    A eliminação precoce do Tottenham diante do Fulham na Copa da Liga Inglesa, com um uniforme cinza escuro, reacendeu um debate antigo entre os apaixonados por futebol na Terra da Rainha. Há quase 30 anos, uma camisa lançada pelo Manchester United gerou um mito de que tons acinzentados prejudicam os clubes que os utilizam.

    Ciência explica?

    Matthew Le Tissier, Ryan Giggs e David Beckham em ação durante duelo entre Southampton e Manchester United, em 1996
    Matthew Le Tissier, Ryan Giggs e David Beckham em ação durante duelo entre Southampton e Manchester United, em 1996

    Em abril de 1996, o Manchester United vinha de uma sequência de 12 jogos sem perder, sendo 10 vitórias. A invencibilidade permitiu que o time comandado por Alex Ferguson ultrapassasse o Newcastle na briga pelo título da Premier League daquela temporada. Faltavam apenas quatro rodadas para confirmar a conquista.

    Os Red Devils então viajaram ao sul da Inglaterra para encarar o Southampton, que lutava para escapar do rebaixamento. Por um conflito de cores, o United entrou em campo com o segundo uniforme daquela temporada, que era cinza. A cor havia sido escolhida pela Umbro após um estudo apontar que o cinza era atraente para torcedores que queriam combinar a camisa com calças jeans. Só que Ferguson odiou o modelo desde seu lançamento.

    Com a bola rolando, a cor cinza representou bem o desempenho do United. Irreconhecíveis em campo, os Diabos Vermelhos foram ao intervalo perdendo por 3 a 0. Ferguson então ordenou que a equipe voltasse a campo com o terceiro uniforme, azul e branco. O United chegou a marcar na etapa final, mas não evitou a derrota por 3 a 1.

    Depois disso, o time venceu os três jogos restantes e foi campeão. Mas a mal-afortunada camisa cinza acabou aposentada.

    Manchester United voltou do intervalo com outro uniforme
    Manchester United voltou do intervalo com outro uniforme / Shaun Botterill/Getty Images

    Ferguson ainda não estava satisfeito. O escocês queria demonstrar que sua teoria tinha base científica, não apenas anedótica. O técnico tinha certeza de que o cinza era uma cor que se camuflava no campo visual dos jogadores, especialmente quando eles não estavam de cabeça erguida.

    Segundo o comentarista e ex-lateral Gary Neville revelou no podcast “Quickly Kevin”, Ferguson procurou uma professora da Universidade de Liverpool para testar a teoria. Ela passou a frequentar os treinos do Manchester duas vezes por semana.

    A cientista fez alguns exercícios com os atletas e chegou à conclusão que o tempo de reação dos jogadores para passes e demais situações de jogo era menor quando seus companheiros vestiam cores mais destacadas.

    É óbvio. O motivo pelo qual as pessoas que trabalham em rodovias usam amarelo brilhante é para serem vistas. Pessoas não usam cinza em uma rodovia! A professora disse a Ferguson que as pessoas realmente não identificariam alguém usando cinza em uma multidão tão rapidamente quanto outras cores.

    Gary Neville, ex-jogador do Manchester United

    O United só voltou a ter um uniforme cinza em 2017.

    Em quatro partidas com a camisa, os Diabos Vermelhos empataram uma vez e venceram três. Apesar disso, a crença “anti-cinza” segue firme no futebol inglês.


    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas