Conheça o pub de Tóquio que 'pulveriza' clientes na entrada


Jack Guy e Emiko Jozuka Da CNN
21 de Maio de 2020 às 08:00
Pub de Tóquio

Frequentadores do pub Kichiri Shinjuku recebem spray com desinfetante.

Foto: Issei Kato/Reuters

Entre as novas práticas que vêm sendo adotadas pelas empresas por causa da pandemia a de coronavírus, destaca-se a de um pub japonês, que adotou uma curiosa abordagem para a segurança dos clientes. No Kichiri Shinjuku, um tradicional bar do tipo izakaya em Tóquio, os clientes são borrifados com uma fina névoa de desinfetante antes de ser autorizados a entrar.

“Queremos que os clientes se sintam seguros quando vierem aqui", disse a porta-voz Rieko Matsunaga à CNN. “É uma medida para promover o distanciamento social e prevenir infecções."

Funciona assim: ao chegarem ao pub no bairro de Shinjuku, os clientes são recebidos por uma recepcionista em um monitor, que pede para eles lavarem as mãos e terem sua temperatura medida por um termômetro. Em seguida, eles passam por um scanner, semelhante aos usados em aeroportos, onde são pulverizados com uma névoa de desinfetante à base de cloro por 30 segundos. Por fim, recebem um mapa que indica onde devem se sentar e digitalizam um código QR para abrir um menu no telefone, usado também para fazer o pedido. Todos os clientes ficam separados por telas transparentes de acrílico.

O pub é de propriedade da Kichiro & Co., que possui 103 endereços no Japão. A empresa instalou a máquina em sua filial de Shinjuku em 14 de maio. Cinco dias depois, foi a vez do pub Kichiri, em Osaka, inaugurar a sua. “Estabelecemos isso para cumprir as novas diretrizes de estilo de vida. Gostaríamos de espalhar essa tecnologia e colaborar com outros restaurantes”, contou Matsunaga. “Também administramos lojas de omurice (omelete japonês) e hambúrgueres, nas quais queremos instalar essa mesma tecnologia".

Embora Matsunaga afirme estar seguindo orientações do Ministério da Saúde do Japão na decisão de pulverizar os clientes com água e ácido hipocloroso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que tal prática é uma péssima ideia. “A pulverização com desinfetantes pode resultar em riscos para os olhos, além de irritação respiratória ou na pele", advertiu a OMS em comunicado divulgado no sábado. “Feita com certos produtos químicos, como formaldeído, agentes à base de cloro ou compostos de amônio quaternário, a pulverização ou nebulização não é recomendada devido aos efeitos adversos à saúde, já constatados em trabalhadores nas instalações onde esses métodos foram utilizados".

A OMS também citou estudos que mostram que a pulverização de desinfetante em uma ampla área não protege contra o coronavírus.

Leia também:

Covid-19 abala setor de turismo e viagens em 2020; veja como será a retomada

Nossas cidades podem nunca mais ser as mesmas depois da pandemia

O Japão implementou o que chama de "lockdown suave" para combater a Covid-19. Em 6 de maio, o governo estendeu o estado de emergência do país até o final do mês, introduzindo controversas "novas diretrizes de comportamento social".

Um painel de especialistas recomendou que os japoneses usem permanentemente máscaras faciais e mantenham dois metros de distância uns dos outros. Outros conselhos incluem dar preferência a mesas ao ar livre nos restaurantes e conversar pouco. Isso deixou as pessoas se perguntando por que as diretrizes diferiam das de muitos outros países.

“Fiquei pasmo... Não há outros especialistas dando esse tipo de conselho no mundo: apenas especialistas no Japão. É como se eles estudassem o vírus, mas não o comportamento humano. Mais assustador do que o vírus são as pessoas ignorantes dando orientações à sociedade sobre como enfrentá-lo", reclamou um usuário do Twitter.