Miss EUA 2020 é a primeira mulher negra a representar o Mississippi


Scottie Andrew, da CNN
10 de novembro de 2020 às 19:28
Asya Branch

A Miss EUA 2020, Asya Branch

Foto: Reprodução/Twitter

A primeira mulher negra a ser coroada como Miss Mississippi EUA é agora a atual Miss Estados Unidos.

Asya Branch, uma estudante da Universidade do Mississippi nascida em Booneville, foi coroada Miss EUA na segunda-feira (9), depois que a pandemia de coronavírus atrasou o evento por vários meses.

Ela vai representar os EUA no concurso de Miss Universo.

A jovem compartilhou sua vitória histórica com a Miss Teen USA 2020, Ki'ilani Arruda, a segunda mulher havaiana a ganhar o concurso para adolescentes.

Do palco do Graceland Exhibition Center em Memphis, Tennessee, Branch respondeu a perguntas sobre como consertar o país polarizado (sua resposta: restaurar a confiança em instituições como a mídia e o governo) e sobre a legislação de armas (a contou que sua família tem armas, mas mais pessoas deveriam aprender como usá-las com segurança antes de obterem suas autorizações).

Em uma entrevista após o concurso de Miss Mississippi USA, Branch revelou que seu pai ficou preso por 10 anos. Sua experiência a inspirou a defender a reforma da justiça criminal e, em 2018, ela se reuniu com o presidente Donald Trump e outras autoridades para discutir medidas para ajudar a reintegrar ex-prisioneiros à sociedade após sua libertação.

“Aprendi muito sobre mim mesma, mas ao mesmo tempo, ao compartilhar minha história e passar por tantas coisas. Ao não permitir que isso me impedisse de seguir em frente, fui capaz de me curar e, ao mesmo tempo, ajudar os outros a encontrarem seu caminho”, contou.

Assista e leia também:

CNN Nosso Mundo: 'Lugar de mulher é onde ela quiser', diz Helena Rizzo
SPFW adota regra de equidade racial em nova edição
Kamala Harris: quem é a primeira mulher negra eleita vice-presidente nos EUA

O concurso estava originalmente agendado para a primavera de 2020, mas, como muitos outros grandes eventos na época, foi cancelado devido à pandemia de Covid-19.

Com a produção do evento de volta há poucos meses, a Organização Miss Universo, que administra o Miss EUA, seguiu alguns protocolos de pandemia: as competidoras usavam máscaras com joias quando estavam fora do palco e quando visitavam marcos como o Museu Nacional dos Direitos Civis; a plateia em Graceland foi instruída a usar máscaras em ambientes fechados e se submeter a verificações de temperatura, de acordo com a organização, que não mencionou distanciamento social dentro do local do evento em seus protocolos de Covid-19.

Quem cedeu a coroa para Branch foi Cheslie Kryst, Miss EUA 2019. O reinado de Kryst foi o primeiro em que as vencedoras dos principais concursos de beleza (Miss EUA, Miss Teen EUA, Miss América e Miss Mundo) foram todas mulheres negras.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)