SPFW adota regra de equidade racial em nova edição

Semana de moda mais importante do país, vai exigir que as marcas tenham, no mínimo, 50% dos modelos negros, afrodescendentes ou indígenas em seus desfiles

foto-spfw-divulgacao

Zeinab Bazzi e Raphael Bueno, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A São Paulo Fashion Week, semana de moda mais importante do país, vai exigir que as marcas tenham, no mínimo, 50% dos modelos negros, afrodescendentes ou indígenas em seus desfiles.  

A edição deste ano comemora 25 anos de história do evento. Antes, havia uma recomendação para que houvesse diversidade, porém a medida se tornou obrigatória após a decisão. 

Leia também

Magazine Luiza reafirma trainee para negros após acusação de ‘racismo reverso’

‘Cutuca no privilégio’, diz CEO da Empodera sobre trainee exclusivo para negros

A ideia surgiu a partir de uma live realizada, em maio, por Paulo Borges, fundador e diretor criativo do evento, com Natasha Soares, Camila Simões e Thainá Santos, criadoras do perfil @pretosnamodabr.

Diversos segmentos da moda foram consultados pela organização, além de inúmeros movimentos sociais em defesa da inclusão e do combate ao racismo. 

A SPFW é o primeiro evento de moda a tomar uma decisão como essa. Em comunicado oficial, a organização do evento afirmou que sempre agiu em favor da diversidade.

“O SPFW, em seus 25 anos, sempre trabalhou pela inclusão e pela diversidade. Esta edição de celebração destes anos, aprofunda ainda mais tudo que o evento já realizou, com a adoção da regra de equidade racial para modelos”.  

A edição de 25 anos do SPFW, que ocorrerá entre os dias 04 e 08 de novembro, será totalmente digital devido à pandemia do Covid-19, e terá transmissões simultâneas e projeções mapeadas pelas 5 regiões da cidade de São Paulo.  

Mais Recentes da CNN