Tapete vermelho do Oscar 2021 ofereceu um vislumbre de normalidade

Com uma cerimônia reduzida, organizadores conseguiram recuperar glamour pelo qual o evento é conhecido, ainda que sem todas as tradições dos anos anteriores

Oscar Holland e Megan C. Hills, da CNN

Ouvir notícia

No segundo Oscar realizado ainda em plena da pandemia de Covid-19, o tapete vermelho não tinha como seguir todas as tradições de anos anteriores. 

Mas com uma cerimônia reduzida, os organizadores conseguiram recuperar o glamour pelo qual o evento é conhecido. E as estrelas presentes também fizeram sua parte, vestindo uma variedade de tons de dourado, vermelho e recortes ousados.

Normalmente realizado em fevereiro, o Oscar foi adiado por mais de dois meses, na esperança de que o afrouxamento das restrições contra o novo coronavírus possibilitasse um evento mais luxuoso. 

De fato, com os participantes não sendo obrigados a usar máscaras diante das câmeras e vestindo roupas de alguns dos maiores nomes da moda, houve vislumbres de normalidade no tapete vermelho no final de uma temporada de premiações em grande parte virtual.

A 93ª edição do Oscar foi realizada em dois locais de Los Angeles: o Dolby Theatre e a Union Station, onde até 170 convidados, indicados e apresentadores puderam se reunir.

Os organizadores evitaram um evento centrado no Zoom, o que significa que os participantes dispensaram os looks “da cintura para cima” aos quais nos acostumamos nos últimos meses – em vez disso, as estrelas percorreram um tapete vermelho com distanciamento social – embora muito mais curto do que nos anos anteriores – no qual um pequeno grupo de fotógrafos esperava.

Enquanto alguns optaram por roupas mais casuais (como a vencedora de Melhor Diretor, Chloé Zhao, que combinou seu vestido de gola alta com um par de tênis brancos impecáveis), a maioria dos participantes apreciou a rara chance de se vestir para as câmeras usando cores ousadas e vestidos cintilantes.

Dourado sempre foi um tema recorrente no tapete vermelho do Oscar, e a cor estava em alta na noite de domingo (25). Entre as mais atraentes estavam Andra Day em um vestido Vera Wang e com uma carteira de ouro combinando, e Carey Mulligan, cujas duas peças de lantejoulas da Valentino expunham sua barriga entre um bandeau e uma saia de baile. Leslie Odom Jr., por outro lado, usava um terno Brioni todo em ouro e Questlove manteve as coisas divertidas em um par de crocs dourados.

Zendaya mudou do ouro para o amarelo brilhante, aparecendo em um dos looks mais comentados da noite. Desenhado pelo diretor criativo de Valentino, Pierpaolo Piccioli, o vestido (que foi chamado de “Force de beaute” pela marca italiana) levou 300 horas para ser feito e foi combinado com diamantes Bulgari no valor de US$ 6 milhões (cerca de 32,8 milhões).

Antes considerado uma gafe, um número significativo de participantes também usou vermelho no tapete, desde a estrela de “Minari”, Yeri Han, a Reese Witherspoon em uma peça Dior. A estrela de “Mank”, Amanda Seyfried, empolgou-se em um Armani Prive em vermelho, assim como Angela Bassett em um vestido Alberta Ferretti com mangas bufantes e um laço enorme.

Nem todas as tendências da noite giraram em torno da cor, com vestidos decotados também fazendo aparições frequentes no tapete vermelho. Além dos já mencionados trajes de Zendaya e Andra Day, as indicadas para Melhor Atriz Vanessa Kirby e Carey Mulligan também optaram por estilos semelhantes.

E Viola Davis optou por uma variação do tema com seu impressionante vestido branco Alexander McQueen – embora seu estilista tenha revelado à Vogue britânica que o efeito dos recortes foi produzido ao tingir o espartilho por baixo para combinar com o tom de pele exato do atriz.

Com relação à moda masculina, houve uma série de reviravoltas no tradicional traje black-tie em meio à abundância de smokings. Alan S. Kim, estrela de “Minari” de nove anos, roubou corações combinando seu mini blazer Thom Browne com shorts e meias altas, e Jon Batiste, cuja trilha de “Soul” da Disney-Pixar ganhou o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original, vestiu um smoking Dior clássico com uma flor vermelha de grandes dimensões na lapela.

Muitos dos homens mais elegantes da noite optaram por vestir tudo preto. O indicado para melhor ator, Riz Ahmed, usou uma gola alta preta por baixo do terno Prada, enquanto o vencedor do Oscar Daniel Kaluuya, vestindo Bottega Veneta, também optou pelo preto da cabeça aos pés, além de um relógio de pulso e joias Cartier.

Mas também houve divertidos flashes de cor entre as opções de roupas masculinas – Colman Domingo, co-estrela de “A Voz Suprema do Blues”, apareceu no tapete vermelho em um terno Versace rosa brilhante adornado com 4.500 cristais Swarovski (e, apesar de Brad Pitt tenha mantido as coisas diretas no palco para apresentar o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, ele incendiou as redes sociais com um corte de cabelo que levou alguns a anunciar o retorno do coque masculino).

Embora a maioria dos olhos estivessem voltados para o tapete vermelho de Los Angeles, eventos paralelos foram realizados em Londres e Paris para aqueles que não puderam comparecer pessoalmente. 

Em uma exibição em Londres organizada pelo British Film Institute, Olivia Colman continuou o tema vermelho da noite em um elegante design de gola alta da Dior, enquanto LaKeith Stanfield fez um macacão Saint Laurent parecer formal sem esforço com uma camisa branca de gola larga e um cinto.

Assim, os prêmios pareceram muito distantes do evento do ano passado, já que houve muita elegância e alfaiataria neste incomum tapete vermelho do Oscar.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Angela Bassett, que deu voz a uma das personagens de Soul, no tapete vermelho
Angela Bassett, que deu voz a uma das personagens de Soul, no tapete vermelho do Oscar 2021
Foto: Chris Pizzello – 25.abr.2021/Pool/Getty Images

 

Mais Recentes da CNN