Derrota em seu reduto eleitoral pressiona Warren a abandonar primária democrata


Lauren Dezenski and Gregory Krieg Da CNN
04 de março de 2020 às 12:43 | Atualizado 04 de março de 2020 às 12:44
Elizabeth Warren foi derrotada em Massachusetts

A senadora Elizabeth Warren foi derrotada em seu estado natal, Massachusetts, por Joe Biden e Bernie Sanders

Crédito: CNN

A senadora norte-americana Elizabeth Warren foi derrotada na Superterça em Massachusetts, estado que ela representa no Legislativo, por Joe Biden e Bernie Sanders. O resultado decepcionante pode significar também o fim de sua pré-campanha à presidência.

Em e-mail enviado a seus colaboradores, o chefe da campanha da senadora, Roger Law, disse estar decepcionado com os resultados da Superterça.  Uma reunião na tarde desta quarta-feira, 4, deve decidir o destino da campanha. O tom do comunicado, no entanto, já era de despedida. 

Este resultado criará vários problemas com os quais a senadora precisará lidar caso resolva continuar com sua campanha. Depois de 18 dos 51 estados votarem em primárias democratas, ela ainda não conseguiu vencer ou ficar em segundo lugar em nenhum deles.

 Warren enfrenta grande pressão para deixar a disputa, uma decisão que poderia fortalecer a candidatura de Bernie Sanders, eleito pelo estado vizinho de Vermont e identificado com o campo progressista do partido – assim como ela.

Um democrata do alto escalão do partido e confidente de Warren afirmou à CNN americana que ela merece ter tempo para tomar uma decisão por conta própria e não deve ser forçada a deixar a disputa. Mas a realidade é clara: ela não tem mais chances de vencer.

“Não há um caminho viável para ela seguir”, afirmou essa fonte do partido na noite de terça-feira (3). 

O fraco desempenho de Warren em seu estado natal reflete a perda de apoio registrada entre os principais grupos que bancavam sua campanha: mulheres e eleitores liberais com educação superior.

Joe Biden, Mike Bloomberg, Bernie Sanders e Elizabeth Warren

Joe Biden, Mike Bloomberg, Bernie Sanders e Elizabeth Warren, os principais candidatos democratas na disputa pela indicação do partido

Photo: CNN

De acordo com pesquisas de boca de urna, ela conquistou apenas 1 a cada 10 votos femininos em Massachusetts. Este dado é significativamente menor do que o projetado para Biden, que deve ficar com mais de um terço dos votos das mulheres no estado.

Já entre os eleitores com educação superior Warren foi escolhida por 1 a cada 5 deles, enquanto Biden foi o preferido de 3 a cada 10.

Por fim, entre os eleitores que podem ter se dividido entre votar em Warren ou Sanders em Massachusetts, a proporção das pesquisas indica que o representante do estado vizinho foi escolhido por 2 a cada 5.

Como em outros estados da Superterça, em Massachusetts Biden foi o líder entre os moderados e entre os eleitores com mais de 65 anos.

Sinais de fraqueza

Nos últimos dias de fevereiro, pesquisas no estado indicavam que Warren poderia ficar em segundo lugar em seu próprio estado, atrás de Sanders. O resultado foi ainda mais surpreendente porque ela terminou em terceiro lugar, derrotada também por Biden.

Ainda há dúvidas sobre quem poderia se beneficiar mais com uma possível desistência da senadora. Seus apoiadores mais progressistas provavelmente ficariam com Sanders, mas grande parte de seus eleitores – especialmente os brancos, com ensino superior – poderia apoiar Biden.

A senadora ainda não deu sinais sobre suas intenções. Na noite de terça-feira, sua campanha enviou um e-mail com pedido urgente de doações para seus apoiadores no qual pedia que eles aguardassem os resultados finais da Superterça.

A vulnerabilidade de Warren no estado ficou clara no fim de semana, quando Sanders dobrou seus esforços de campanha em Massachusetts e realizou um comício no sábado que atraiu mais de 10.000 apoiadores ao Boston Common, um parque na região central da cidade.

Warren liderou as pesquisas em Massachusetts em poucas oportunidades, exceto por um pico no terceiro trimestre de 2019, quando ela apareceu brevemente como a principal candidata da primária democrata.

Com a aproximação da Superterça, as perspectivas da senadora em seu próprio estado ficaram mais claras. Sanders aparecia como favorito para vencer ou terminar em segundo. Quando os resultados foram divulgados na noite de terça-feira, no entanto, a profundidade de seus problemas tornou-se mais clara: ela não estava atrás apenas de Sanders, mas de um surpreendente Biden, que havia ultrapassado os dois.

Questionada sobre se considerava a vitória em seu estado natal uma obrigação durante evento promovido em fevereiro pela CNN americana na Carolina do Sul, Warren foi evasiva e falou sobre sua inesperada vitória em 2012, quando derrotou o republicano Scott Brown, que ocupava o cargo desde 2010.

“Tive um grande avanço naquela disputa. Estava 17 pontos atrás”, disse Warren. “E aqui está o mais impressionante: eu nunca tinha disputado um cargo eletivo. Eu não tinha qualquer tipo de rede. As pessoas vieram ajudar e disseram: ‘se você está disposta a tudo isso, vamos fazer nossa parte. Vamos ajudar com ligações, vamos ajudar apresentando pessoas. Vamos ajudar te velando a uma reunião de um dos meus grupos’.”

Pressionada a responder especificamente sobre a disputa em seu estado, ela evitou novamente dar uma resposta direta. “Eu sou muito grata a todas essas pessoas. Sempre muito grata”, disse.

Sander perdeu Massachusetts em 2016 para Hillary Clinton por apenas 1,4 ponto percentual (17.068 votos). Naquele ciclo, ele tentou explorar as bases progressistas do estado – na época apoiado por Warren. Desta vez, os dois ficaram atrás de Biden.