Sanders busca fôlego contra Biden em nova rodada da disputa democrata nos EUA


Da CNN Brasil, em São Paulo
10 de março de 2020 às 18:53
Os candidatos democratas Bernie Sanders e Joe Biden

Os candidatos democratas Bernie Sanders e Joe Biden

Foto: CNN - 3.mar.2020/Divulgação

Seis estados americanos realizam as primárias democratas nesta terça-feira (10), no momento em que o senador Bernie Sanders busca fôlego na disputa contra o ex-vice-presidente Joe Biden.

A votação coloca 352 delegados em disputa nos estados de Michigan, Washington, Mississipi, Missouri, Dakota do Norte e Idaho. Para conquistar a indicação do Partido Democrata, o candidato precisa do apoio de 1.991 delegados. No momento, Biden tem 670, contra 574 de Sanders.

Uma arrancada de Biden em Michigan e vitórias no Missouri e Mississipi, onde é o candidato favorito, podem se tornar demais para Sanders superar. Até o fim de março, o apoio de cerca de dois terços dos delegados estará alocado.

Os resultados de Biden na Superterça, que aconteceu em 3 de março, somados a um aumento de apoios e doações de campanha, elevaram-no ao status de favorito e estreitaram as chances de Sanders obter a indicação do partido.

O apoio em Michigan

O candidato democrata Joe Biden em planta automotiva em Detroit, Michigan

O candidato democrata Joe Biden em montadora de automóveis em Detroit, Michigan

Foto: Brendan McDermid/Reuters

O voto mais importante desta terça é o de Michigan, berço da indústria automotiva americana e estado onde Sanders venceu Hillary Clinton em 2016, o que garantiu que a briga pela indicação democrata fosse longa naquele ano — algo que Biden espera evitar agora.

Michigan também deve ser um campo de batalha crucial para a eleição geral, depois que Trump se tornou o primeiro candidato republicano em quase três décadas a vencer no estado.

Joe Biden fez um discurso de última hora hoje mais cedo a operários, esperando que o voto deles o ajude a garantir uma vitória crítica no estado. Biden apoiou a decisão de Obama em 2016 de resgatar a General Motors e a Chrysler, que passavam por crise após o crash de 2008. Ele passou pela fábrica de Detroit da Fiat Chrysler, a primeira a ser inaugurada em décadas, e disse que foram os sindicatos quem construíram os Estados Unidos. "Vocês são os melhores trabalhadores do mundo", gritou ele em um megafone.

Sua visita, no entanto, foi marcada por uma rusga com um operário, que sugeriu que Biden confiscaria as armas dos americanos. O candidato é um apoiador notório de um controle de armas mais severo no país. Quando Biden deixava a empresa, um vídeo mostrou alguns operários gritando "Trump!".

Em sua campanha no Michigan, Bernie Sanders insistiu em suas críticas ao apoio de Biden no passado a pactos comerciais globais, como o Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte), que é impopular no estado devido à percepção de que roubou empregos locais.

Michigan é um estado emblemático da adversidade nacional em manter empregos na manufatura. De acordo com as quatro últimas pesquisas, Biden lidera as intenções com uma porcentagem de dois dígitos sobre Sanders. No entanto, Hillary também vencia Sanders nas pesquisas estaduais em 2016, que acabaram não se confirmando.

As vitórias de Biden na Superterça e no estado da Carolina do Sul foram impulsionadas fortemente por eleitores negros. Em 2016, os negros eram aproximadamente um quinto de todos os votos na primária democrata no Michigan e em Missouri. No Mississipi, a porcentagem chega a 70%.

Na terça-feira que vem (17), outros cinco estados realizarão suas primárias. Entre eles, a Flórida e Ohio. 
Bernie Sanders e Joe Biden cancelaram comícios marcados para esta quinta (12) em Cleveland (Ohio) por "preocupações pela segurança e saúde pública", em meio ao surto de coronavírus.

Com informações da Reuters