Coronavírus: Trump anuncia suspensão de viagens entre Europa e EUA por 30 dias


Da CNN Brasil, em São Paulo
11 de março de 2020 às 22:17 | Atualizado 11 de março de 2020 às 23:41
O presidente americano, Donald Trump, anuncia medidas contra o coronavírus

O presidente americano, Donald Trump, anuncia medidas contra o coronavírus

Foto: Doug Mills/Pool via Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (11) que os Estados Unidos vão suspender por 30 dias todas as viagens entre o país e a Europa devido ao novo coronavírus (COVID-19). A decisão foi anunciada em pronunciamento na noite desta quarta-feira (11).

“Nós vamos suspender todas as viagens da Europa aos Estados Unidos nos próximos 30 dias. As novas regras entrarão em vigor a partir da meia-noite de sexta-feira”, disse Trump em um pronunciamento transmitido desde o Salão Oval. A medida não afeta residentes legais e familiares diretos de cidadãos americanos.

A restrição decidida pelo governo americana não se aplica ao Reino Unido, mas inclui as negociações comerciais. "Essas proibições não vão se aplicar apenas aos tremendos montantes de comércio e cargas, mas também várias outras vão depender de aprovação. Qualquer coisa vinda da Europa para os Estados Unidos, é o que estamos discutindo".

Segundo os dados mais recentes da OMS (Organização Mundial da Saúde), há 696 casos de coronavírus e 23 mortes decorrentes da doença nos Estados Unidos. Chama a atenção o fato de que o número de casos está crescendo de forma acelerada no país. Entre domingo e terça-feira, o registro de casos da doença mais do que triplicou.

Apoio financeiro

Para o presidente americano, não se trata de uma crise financeira. Ele anunciou medidas de apoio às empresas afetadas pelo coronavírus. Entre elas estão a liberação da cobrança de juros em impostos e de multas, além da promoção de empréstimos a juros baixos.

Trump afirmou que vai atuar para possibilitar um auxílio financeiro aos trabalhadores doentes, quarentenados ou que estejam cuidando de outras pessoas em razão do coronavírus. Às 22h58 (horário de Brasília), os índices futuros das bolsas americanas caíam mais de 3%.

Mudança de tom

As decisões desta quarta marcam uma rápida mudança de Trump no tratamento da crise do coronavírus. Em declaração no último dia 27, Trump afirmava que o coronavírus ia "desaparecer" em algum momento e que os então 15 casos confirmados da doença "logo terão caído para três ou quatro".

Em plena campanha pela reeleição, o político também provocou mudanças em sua agenda desta semana. Trump cancelou as viagens que faria para os estados de Colorado e Nevada. No primeiro, compareceria a um evento de arrecadação de fundos na quinta-feira (13). No segundo, iria a um encontro da coalizão de judeus republicanos no final da semana.