EUA: Biden vence mais 4 estados, e amplia vantagem para ser candidato democrata

Ex-vice de Obama acumulou vitórias em Michigan, Missouri, Mississippi e Idaho, uma semana após o grande desempenho na Superterça

Da CNN Brasil, em São Paulo
11 de março de 2020 às 01:59 | Atualizado 11 de março de 2020 às 03:18
O pré-candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden
Foto: Brendan McDermid/Reuters (10.mar.2020)



O pré-candidato democrata Joe Bien aumentou ainda mais seu favoritismo para representar o partido nas eleições presidenciais americanas de 2020. Nesta terça-feira (10), o ex-vice de Obama venceu três primárias da legenda— em Michigan, Missouri, Mississippi e Idaho — com resultados já confirmados.

Outros três estados também foram às urnas e as parciais às 2h (de quarta, no horário de Brasília) indicam que Bernie Sanders tem ligeira vantagem em Washington e na Dakota do Norte. 

Com 125 delegados em jogo, Michigan é considerado o estado mais relevante na atual rodada de primárias. Na última semana, Biden chegou a afirmar que vencer em Michigan seria "muito, muito importante" para sua campanha.

Biden já havia se posicionado como candidato mais provável do campo democrata após um desempenho esmagador na Superterça, no último dia 3, quando vence em 10 dos 14 estados com primárias na ocasião. O evento culiminou com a desistência de Michael Bloomberg e Elizabeth Warren na disputa, polarizado as preferências entre Biden e Sanders.

Nesta terça, em entrevista à CNN, o empresário Andrew Yang, que chegou a ser um dos pré-candidatos democratas, declarou apoio a Biden na corrida contra Sanders.

"Acredito que Joe Biden será o candidato democrata e eu disse que sempre apoiaria quem quer que seja o candidato. Por este meio, estou endossando Joe Bien para não ser apenas o candidato do partido democrata, mas para o próximo presidente americano", declarou. 

Com vitórias no Mississippi — c um estado com um eleitorado amplamente negro e uma renda familiar média em torno de US$ 43.000 por ano — e Missouri, um eleitorado amplamente branco com cerca de US$ 53.000 com renda média anual, o ex-vice-presidente Joe Biden está provando ser o candidato capaz de reunir uma coalizão multi-racial da classe trabalhadora.