Argentina, Bolívia, Paraguai e Peru suspendem voos da Europa


Da CNN Brasil, em São Paulo
13 de março de 2020 às 02:39
Passageiros com máscaras de proteção contra coronavírus caminham no Aeroporto In

Passageiros com máscaras de proteção contra coronavírus caminham no Aeroporto Internacional de Buenos Aires, na Argentina

Foto: Matias Baglietto/ Reuters (03.mar.2020)

Com o aumento do número de casos do novo coronavírus (COVID-19) na América Latina, diversos países da região tomaram medidas contundentes para conter a doença. A exemplo dos Estados Unidos — que restringiram conexões aéreas com países da União Europeia —, outros governos também limitaram voos do exterior, com foco em locais mais afetados pela doença. 

A Argentina declarou emergência sanitária por um ano e suspendeu a chegada de voos de países considerados de risco, incluindo nações da Europa, os Estados Unidos e a China. Apenas a Aerolíneas Argentinas, companhia aérea estatal, será autorizada a voar a essas regiões para repatriar argentinos.

Na sequência da decisão argentina, a Bolívia adotou medida semelhante. Diversos candidatos envolvidos nas eleições presidenciais do país, marcadas para maio, cancelaram seus eventos de campanha. 

No fim da noite de quinta-feira, Paraguai e Peru também restringiram a chegada de voos da Europa e da Ásia até o fim de março. 

Os países também tomaram outras ações emergenciais, como a suspensão de aulas e o cancelamento de grandes eventos públicos. Essas medidas foram seguidas por outros governos latino-americanos, como Costa Rica e Honduras.