Brasil fechará fronteira com Venezuela para evitar colapso em RR, diz Bolsonaro


Da CNN Brasil, em São Paulo e Brasília
17 de março de 2020 às 19:10
Venezuelanos entram no Brasil por Pacaraima

Militar brasileiro observa venezuelanos que entram no país por Pacaraima, em Roraima

Foto: Nacho Doce - 19.ago.2018/ Reuters

A fronteira do Brasil com a Venezuela será fechada em portaria a ser publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (18), disse o presidente Jair Bolsonaro a jornalistas em Brasília. Segundo o presidente, a decisão foi tomada para impedir o colapso do sistema de saúde de Roraima em meio à pandemia do novo coronavírus (COVID-19). O fechamento, no entanto, não valerá para a circulação de mercadorias.

"Você para Roraima. Se você fecha o tráfego com a Venezuela, a economia desanda. Não tem como tomar medidas radicais, não vai dar certo", disse Bolsonaro a jornalistas. O presidente voltou a chamar de "certa histeria" a defesa por parte de autoridades dos fechamentos das fronteiras brasileiras para conter a COVID-19.

"Alguns acham que fechar fronteira é uma palavra mágica. Se fosse tão fácil fechar fronteira como muitos pensam, não teria tráfico de drogas e armas no Brasil. Temos 17.000 km de fronteira", afirmou. Jair Bolsonaro pontuou especificamente a fronteira com o Paraguai em Ponta Porã (MS) como de difícil fechamento.

"É uma fronteira seca, se você não prestar atenção, você não sabe quando está no Paraguai e quando está no Brasil. E você não tem como evitar o tráfego de pessoas por ali, porque é brasileiro casado com paraguaia, paraguaia com brasileiro, é uma família. É quase uma conurbação, são cidades que são gêmeas", afirmou.

Maia cobra fronteira fechada

O fechamento das fronteiras brasileiras foi defendido hoje pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Maia também defende que sejam restringidos os voos internacionais e o movimento de pessoas no Rio de Janeiro e São Paulo para conter o novo coronavírus.

"Não podemos, pela questão econômica, ter um problema ainda maior de saúde pública", disse. Ele demonstrou preocupação com a aceleração do crescimento no número de casos no Rio de Janeiro. "Principalmente em comunidades, você tem casas de tamanho pequeno com cinco, seis pessoas. Não há condição de isolar essas pessoas".

Bloqueios pelo mundo

A medida de vedar a entrada e saída de pessoas para evitar a disseminação da COVID-19 foi adotada por outros países da América do Sul e pela União Europeia. Na Argentina, a medida foi decretada no domingo pelo presidente Alberto Fernández e tem a duração prevista de 15 dias. No Peru, o fechamento das fronteiras está impedindo, inclusive, o retorno de quase 4.000 brasileiros ao país. 

Líderes da União Europeia (UE) decidiram fechar as fronteiras externas dos 27 países que compõem o bloco por 30 dias para conter o avanço do novo coronavírus, em decisão que tem efeito imediato. A informação é da CNN. No entanto, será estabelecida uma via rápida nas divisas dos países para manter a circulação de produtos.

"O inimigo é o vírus, e nós temos que fazer nosso máximo para proteger nosso povo e nossas economias", disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, à Reuters. "Estamos prontos para fazer tudo o que for necessário. Não vamos hesitar em tomar mais atitudes, conforme for necessário".

Com Reuters