Por coronavírus, estado de Connecticut adia primárias democratas para junho


Da CNN Brasil, em São Paulo
19 de março de 2020 às 17:21 | Atualizado 19 de março de 2020 às 18:23
Eleitor vota usando máscara de proteção contra coronavírus

Eleitor vota nas primárias de Illinois, nos Estados Unidos, usando máscara de proteção contra coronavírus

Foto: Daniel Acker/Reuters (17.mar.2020)

Ned Lamont, governador do estado de Connecticut, nos Estados Unidos, anunciou nesta quinta (19) que ele adiará as primárias democratas para 2 de junho. Inicialmente, elas estavam previstas para 28 de abril.

Em uma publicação no Twitter, Lamont declarou que a medida é um "esforço para preservar a democracia enquanto mantém a saúde pública como maior prioridade".

A disputa democrata para decidir quem será o adversário de Donald Trump nas eleições de novembro está entre Joe Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, e o senador Bernie Sanders. No momento, Biden tem o apoio de 1.111 delegados, contra 796 para Sanders. O vencedor precisa do apoio de 1.991 delegados para conquistar a candidatura.

Leia também:
Como funcionam as primárias nos EUA?

Connecticut não é o primeiro estado americano a postergar a disputa democrata. Geórgia, Ohio, Kentucky, Maryland e Louisiana também adiaram a realização das primárias para evitar aglomeração de pessoas. Todos esses estados moveram as datas para o período entre o fim de maio e o começo de junho.

Os próximos pleitos democratas acontecem em Porto Rico, no dia 29, e no Alasca, Havaí e Wyoming em 4 de abril.

Antes das mudanças, o apoio da maior parte dos delegados já estaria alocado até o fim deste mês. Com as prorrogações, só será possível ter um cenário mais claro após o dia 28 de abril, quando 460 delegados estarão em jogo nas primárias da Pensilvânia e Nova York.