Coronavírus: Trump suspende juros de empréstimos estudantis por 60 dias

Governo norte-americano disse também que entrou em acordo com o México e o Canadá para suspender viagens 'não essenciais' aos EUA

Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 13:06 | Atualizado 20 de março de 2020 às 13:54
O presidente dos EUA, Donald Trump, anuncia medidas de combate ao coronavírus
O presidente dos EUA, Donald Trump, anuncia medidas de combate ao novo coronavírus
Foto: Leah Millis - 16.mar.2020/Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (20) que “suspendeu temporariamente todos os juros de empréstimos estudantis mantidos pelo governo” por 60 dias, em razão da pandemia do novo coronavírus. “Se precisarmos de mais, estenderemos esse prazo”, ressaltou ele em uma coletiva de imprensa na Casa Branca sobre a situação da doença no país.

Durante a coletiva, o secretário de Estado, Mike Pompeo, anunciou que os EUA entraram em acordo com o México e o Canadá para suspender viagens "não essenciais" ao território norte-americano. A medida entrará em vigor a partir deste sábado (21).

Trump ressaltou que não acha necessário estabelecer um isolamento total, em referência à fala do governador de Nova York, Andrew Cuomo, que disse que todos os trabalhadores não essenciais devem ficar em casa. 

"Acredito que não", afirmou o presidente ao ser questionado sobre um bloqueio no país. "Estamos conversando com os governadores e não acredito que acharemos necessário."

Trump afirmou que teve, hoje, uma conversa "extremamente boa" com o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, sobre a disseminação do vírus nos EUA. Um porta-voz de Schumer disse que o senador pediu ao presidente para invocar a Lei de Produção de Defesa. A legislação de 1950, um dispositivo do período da Guerra da Coreia (1950-1953), prevê que o governo pode ordenar a expansão da produção de máscaras e equipamentos de proteção para prevenir a disseminação de doenças.

Assista e leia também:

Coronavírus: como é viver na Itália, epicentro da pandemia na Europa

Coronavírus: o que é fake news e o que é verdade sobre a transmissão da doença

Trump não confirmou o pedido de Schumer, mas afirmou que concorda em invocar a lei imediatamente. "Estamos trabalhando em vários elementos do acordo. Os democratas querem muito que algo aconteça e acho que irá [acontecer]", disse o presidente sobre o assunto. “Todos trabalhamos pelo mesmo objetivo”, destacou.

Até o momento, 197 pessoas morreram nos EUA pelo novo coronavírus e há mais de 15 mil casos confirmados no país.