Menina de 12 anos com coronavírus luta pela própria vida em hospital de Atlanta


Amara Walker, Alta Spells e Melissa Alonso Da CNN
23 de março de 2020 às 09:56 | Atualizado 29 de maio de 2020 às 20:31
Criança caminha com máscara em meio a pandemia de coronavírus

Crianças estão sendo infectadas e disseminando o novo coronavírus, mas elas normalmente desenvolvem casos leves da doença

Foto: Remo Casilli - 10.mar.2020/ Reuters

Emma, de 12 anos de idade, está “lutando pela própria vida” em um hospital da cidade norte-americana de Atlanta após testar positivo para o novo coronavírus, segundo Justin Anthony, primo da menina. 

Ele disse à CNN que Emma foi diagnosticada com pneumonia no dia 15 de março e testou positivo para a COVID-19 na noite de sexta-feira (20). No sábado (21), ela foi colocada em um respirador e hoje está em condição estável, segundo Anthony.

A garota não tinha condições pré-existentes, não viajou recentemente e não se sabe como ela foi infectada. O Centro de Saúde Infantil do Hospital Atlanta-Scottish Rite confirmou que uma atual paciente da instituição testou positivo para o novo coronavírus, mas não deu mais detalhes sobre o caso.

Assista e leia também: 

Coronavírus: como é viver na Itália, epicentro da pandemia na Europa

“A paciente permanece em isolamento, e tomamos os cuidados devidos. Mais detalhes não serão divulgados em razão das leis de privacidade do paciente”, disse a porta-voz do hospital, Jessica Pope.

Jovens não são imunes ao vírus

Especialistas em saúde afirmaram que idosos e aqueles com condições de saúde delicadas correm mais risco de morrer em razão do novo coronavírus. Crianças estão sendo infectadas e disseminando o vírus, mas elas normalmente desenvolvem casos leves da doença.

De todos os quase 45 mil casos confirmados na China até 11 de fevereiro, apenas uma pessoa com menos de 20 anos morreu de COVID-19, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China. Nenhuma morte entre crianças com menos de 10 anos foi registrada até agora.

Dos 731 casos confirmados e 1.412 suspeitos entre crianças na China, só um deles, um garoto de 14 anos, morreu, de acordo com um novo estudo que será publicado na revista acadêmica médica Pediatrics em junho. Além disso, apenas 6% dos casos infantis da doença são considerados severos, comparados aos 18,5% dos adultos que apresentaram sintomas graves, indicou o estudo.

Jovens adultos têm resultados melhores do que os idosos, mas isso não quer dizer que eles são imunes ao vírus.

Um relatório divulgado na quarta-feira (18) pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos mostra que os mais jovens compõem uma grande parte dos internados. Mais de 20% das pessoas que são hospitalizadas com o novo coronavírus nos EUA são pessoas com idades entre 20 e 44 anos.

Leia também: 

Por que você não deve fazer álcool em gel em casa

O estudo analisou a situação de cerca de 2,5 mil pacientes nos EUA (não há informações sobre as idades dos envolvidos) e mostrou que não houve registro de internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de pessoas com menos de 19 anos.

Gravidade da doença

O primo de Emma disse à CNN que teve a aprovação da mãe da menina para contar a história dela. Ele quer que as pessoas tenham noção da gravidade do novo coronavírus.

“Sei de perto o quão perigosa ela [a doença] é”, disse Anthony. “As pessoas continuam dizendo ‘não impacta os mais novos’. Mas há uma menina de 12 anos lutando pela própria vida. As pessoas precisam praticar o distanciamento social e cuidar das crianças. É preciso levar isso a sério”, afirmou ele.

No domingo (22), havia mais de 500 casos confirmados de COVID-19 e 20 mortes no estado norte-americano da Geórgia, segundo o balanço mais recente.