Pelo 2º dia, número de mortes e infecções por coronavírus na Itália desacelera


Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2020 às 16:50 | Atualizado 23 de março de 2020 às 16:57

Pelo segundo dia seguido, a Itália registrou queda no número de mortes e novos casos de infecção pelo novo coronavírus. O número de mortes no boletim desta segunda-feira (23) foi de 601, frente a 651 do domingo (22) — uma queda de 7,6% na relação com o dia anterior. É também o menor número de mortos dos últimos quatro dias, após recordes sucessivos de mortes diárias na semana passada.

O número de casos confirmados também recuou — 3.780 hoje, frente a 3.957 no dia anterior -, mas num contexto de menos testes realizados.

"Esse talvez seja o primeiro dia positivo que tivemos neste mês difícil", disse Giulio Gallera, oficial de saúde da região da Lombardia, onde foram registradas 62% das fatalidades no país. "Não é hora de cantar vitória, mas estamos começando a enxergar a luz no fim do túnel".

Porém, houve também uma queda significativa na quantidade de testes executados nas últimas 24h. Silvio Brusaferro, chefe do instituto nacional de saúde da Itália, declarou que ainda é muito cedo para dizer se a diminuição nos casos e mortes diárias continuará estável.

A diminuição ocorre 12 dias depois do estabelecimento de quarentena em todo país. As primeiras medidas tomadas para restringir a circulação de pessoas na Itália foram tomadas em 11 de março e as autoridades esperam que elas dessem resultado em um período de 14 a 21 dias. Ou seja, o chamado "achatamento da curva" é esperado para a partir da próxima quarta-feira (25).

O governo italiano decretou neste domingo (22) que todos os empreendimentos parem, com a exceção de serviços essenciais. 

Leia também:

Coronavírus: como é viver na Itália, epicentro da pandemia na Europa

Com informações da Reuters