Biden: Trump precisa "parar de falar e ouvir os médicos" sobre coronavírus

Pré-candidato democrata à Casa Branca criticou condução que republicano faz da pandemia e defende auxílio financeiro aos mais vulneráveis

Da CNN, em São Paulo
24 de março de 2020 às 18:18
O ex-vice-presidente Joe Biden, pré-candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos
Foto: Sarah Silbiger/CNN
 
O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden criticou nesta terça-feira (24), em entrevista exclusiva à CNN, a condução do presidente Donald Trump sobre a crise do novo coronavírus. Segundo Biden, Trump deveria "parar de falar" e ouvir as "instruções dos médicos". Pré-candidato à presidência dos EUA, Biden ressaltou a alta no número de casos e mortes e afirmou que Trump deveria olhar além da economia.

Para o candidato democrata, Trump demora em reagir. "Ele deveria ter agido antes. Nós sabíamos que essa situação chegaria, era só olhar ao redor do mundo. Eu falei há duas ou três semanas atrás que Trump deveria ter feito algo. O que ele está fazendo? Isso é bizarro."

Biden disse que não quer que a economia desande, mas que é necessário ser racional, bastando olhar o que está acontecendo em outros países. Para ele, o vírus não é culpa de Trump, mas a forma como ele está demorando para fazer o que é necessário ser feito é surpreendente. 

Além disso, Biden afirmou que, se Trump não quer que a economia seja afetada demais pela pandemia, deve garantir imediatamente ajuda para as pessoas mais vulneráveis no país. O pré-candidato também argumentou que o coronavírus não vai impedir ou atrapalhar as eleições internas do partido democrata.

Quarentena

A fala do ex-vice-presidente vem na sequência de uma série de declarações do presidente defendendo que os Estados Unidos devem rever as políticas de quarentena nas próximas semanas para minimizar os impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

"Nós não vamos deixar que a cura seja pior do que o problema. No final do período de 15 dias, nós vamos tomar a decisão sobre qual caminho nós queremos seguir", afirmou Trump, durante entrevista coletiva da na segunda-feira. 

Nos Estados Unidos, há 42.164 casos confirmados de COVID-19, segundo dados da Organização Mundial da saúde (OMS). Ao todo, 471 vítimas fatais foram registradas relacionadas ao novo coronavírus.