Coronavírus: OMS e OCDE cobram cooperação internacional


Renan Fiuza Da CNN Brasil, em São Paulo
24 de março de 2020 às 00:02

Diante da pandemia do novo coronavírus, os governos se voltam cada vez mais para si mesmos. Mas, na crise, a falta de cooperação internacional pode ser tão grave quanto a nova doença.

Especialistas enxergam o momento de egoísmo. Respostas emergenciais ao redor do mundo somam trilhões de dólares: corte de juros, linhas de crédito, suspensão de ordem de pagamento. Porém, para a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), medidas internas não são suficientes. É preciso olhar para fora das fronteiras.

"O mundo precisa de uma resposta coordenada, precisa chegar a um diagnostico comum. Precisa que os esforços de estímulos econômicos e de evitar que o aumento da pobreza sejam feitos de maneira harmônica, e esse espaço parece que não existe", explica Eduardo Mello, professor de relações internacionais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já tinha alertado que a pandemia só poderia ser contida com uma abordagem coletiva. Os líderes das principais economias mundiais, desenvolvidas e emergentes, que fazem parte do G20, vão se encontrar nesta semana para uma reunião de cárater emergencial e também de forma virtual para tentar colocar em prática ações coordenadas.

A ideia é tentar diminuir o impacto de uma possível recessão mundial, que parece ser inevitável.

"Nós demoramos para tomar atitudes para controlar o vírus e para responder financeiramente aos desafios que o coronavírus está trazendo. O próprio fato de o [Donald] Trump ter negligenciado os relatórios de inteligência do começo deste ano é indício que outros líderes não tivessem dando a devida atenção", diz Vinicius Vieira, professor de relações internacionais.