Itamaraty pede recursos e voos emergenciais da FAB para repatriar brasileiros

Voos da Aeronáutica devem ser destinados a locais de difícil acesso ou sem voos comerciais disponíveis

André Spigariol Da CNN, em Brasília
23 de março de 2020 às 22:29
Avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que resgatou brasileiros que estavam isolados em Wuhan, na China, em fevereiro
Foto: CComSEx

O Ministério das Relações Exteriores solicitou à cúpula do governo federal um reforço no seu orçamento para poder prestar assistência consular a brasileiros no exterior. A pasta coordena os esforços para repatriar os brasileiros que se encontram ilhados fora do país devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e não conseguem encontrar voos para retornar.

Atualmente, mais de 6.500 pessoas se encontram nessa situação e procuram embaixadas e consulados do Brasil no exterior para tentar voltar para casa. Em locais de difícil acesso ou sem disponibilidade de linhas aéreas comerciais, o Itamaraty pediu a ajuda da Força Aérea Brasileira (FAB) para a realização de voos de emergência. Dois deles já decolam nesta terça-feira, com destino a Cuzco (Peru). 

De acordo com informações disponíveis no Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira), do governo federal, o orçamento para a assistência consular a brasileiros no exterior é de R$ 68,6 milhões em 2020. Deste total, o Itamaraty já consumiu R$ 5,5 milhões.

O orçado para este ano é praticamente igual ao do ano passado, mas menor do que o de 2018. Os orçamentos dos últimos dois anos foi de R$ 68,8 milhões (2019) e R$ 83 milhões (2018), respectivamente, em valores corrigidos pela inflação.

Um experiente diplomata ouvido pela CNN diz que as repatriações avançam, mas com dificuldades. A diplomacia brasileira espera um engajamento maior da FAB, pois avalia que a situação dos brasileiros no exterior é grave. Por conta da pandemia, hotéis e pousadas estão sendo fechados em diversas partes do mundo. Turistas relataram à CNN que brasileiros estão ficando sem lugar para dormir. 

Aviões no Peru

Em nota, a FAB disse que enviará nesta terça-feira, partindo da Base Aérea do Galeão (RJ), duas aeronaves C-130 Hércules a Cuzco, no Peru, para a repatriação de brasileiros em virtude da pandemia de COVID-19. Cada aeronave transporta uma equipe médica; elas devem chegar ao Peru na quarta-feira. 

A maior parte dos cidadãos ilhados se encontra em Portugal, onde cerca de 2 mil brasileiros aguardam um voo de volta, disse o chanceler Ernesto Araújo à CNN. Já retornaram de Portugal 2.650 brasileiros. Outros países concentram as atenções do Itamaraty.

Segundo informações divulgadas pela pasta nesta segunda-feira, 656 brasileiros já retornaram do Peru, 490 turistas voltaram de México e Panamá, 260 da República Dominicana.

Além destas nações, a chancelaria trabalha ainda para repatriar brasileiros no Equador, México, Espanha, França, Tailândia, Vietnã, Filipinas e Suriname, segundo uma fonte diplomática ouvida pela CNN. Nesta terça-feira, brasileiros em Cabo Verde embarcam para o aeroporto de Fortaleza.