Ainda altas, novas infecções de coronavírus na Itália caem pelo quarto dia


Da CNN, em São Paulo
25 de março de 2020 às 16:03
Morador de Nápoles, Itália, pede que todos fiquem em casa contra COVID-19

Cartaz em balcão de casa em Nápoles, na Itália, pede que pessoas fiquem em casa para impedir avanço do COVID-19

Foto: Ciro de Luca - 13.mar.2020/ Reuters

O número de casos do novo coronavírus na Itália, apesar de ainda ser alarmante, caiu pelo 4º dia seguindo, segundo dados do Departamento de Proteção Civil do país. Nesta quarta-feira (25) foram 3.491 novas infecções – redução de 3,3% em relação ao dia anterior – e 683 mortes – queda de 8%.

Desde o início da epidemia, o número total de pessoas infectadas no país é de 74.386. Se mantiver a média dos últimos quatro dias, a Itália superará a China – no momento, com 81.661 casos – até o fim dessa semana.

Na semana passada, o país europeu passou o gigante asiático, onde surgiu a doença, no número de mortos. Ao todo, A Itália registra 7.503 mortes, seguida por Espanha, onde 3.434 pessoas morreram em consequência da COVID-19 e, depois, pela China, com 3.285 mortes.

O pior dia na crise italiana foi o domingo (22), quando o país registrou 793 mortes – também o pior índice diário entre todos os países com vítimas da doença.

O chefe do Departamento de Proteção Civil italiano, Angelo Borrelli, não participou da entrevista diária para atualização dos dados sobre a COVID-19 porque teve febre e estava sendo testado para detectar o novo coronavírus.

De todos os infectados no o país, 9.362 pessoas se recuperaram totalmente até essa quarta-feira, em comparação com 8.326 no dia anterior. Há 3.489 pessoas em terapia intensiva.

A região da Lombardia, epicentro da doença no país, relatou uma queda acentuada no número de mortes em comparação com o dia anterior, mas permaneceu em uma situação crítica, com um total de 4.474 vítimas e 32.346 casos.

Até terça-feira, eram 4.178 mortes e 30.703 casos confirmados nessa área, localizada no norte da Itália (Com informações da Reuters)