Espanha registra 769 mortes por coronavírus; total vai a 4.858

Apesar dos números ainda altos, chefe de emergência em Saúde do país disse ver estabilização na quantidade de óbitos; testes com defeito serão substituídos

Da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 10:05
Exército Espanhol montou abrigos para moradores de rua se protegerem da pandemia do novo coronavírus
Foto: Nacho Doce - 25.mar.2020/ Reuters

O número de mortos pelo novo coronavírus na Espanha aumentou em 769 casos, um novo recorde no número de mortes registradas em 24 horas, e chegou a 4.858, informou o Ministério da Saúde nessa sexta-feira (27).

Os dados mais recentes da pasta mostram que o número de mortos pelo coronavírus começa a se estabilizar, disse o chefe de emergência em Saúde, Fernando Simón, em entrevista coletiva nessa sexta.

"Em termos percentuais, o aumento de hoje é aproximadamente equivalente ao dos últimos três dias (...) Vemos uma clara estabilização", disse Simón.

O número total de pessoas infectadas no país aumentou para de 56.188 para 64.059, dos quais 9.444 são médicos, enfermeiros ou outros profissionais da área da saúde que atenderam pacientes com a doença.

De acordo com levantamento da universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, a Espanha é o 4º país com mais infecções pelo novo coronavírus, atrás apenas dos EUA (85.996 casos), da China (81.897) e da Itália (80.589).

Leia também:

Paramédicos muçulmanos e judeus oram juntos contra a COVID-19 em Israel

9 em cada 10 mortes no Brasil por coronavírus são entre idosos

Em quantidade de mortos, o país aparece atrás apenas da Itália, que registrou 8.215 óbitos pela COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Testes com defeito

A empresa chinesa Shenzhen Bioeasy Biotechnology Co. anunciou nessa sexta-feira que substituirá alguns kits de teste do novo coronavírus que exportou para a Espanha depois que Madri os considerou imprecisos demais para serem usados no diagnóstico de pacientes.

O Ministério da Saúde, Assuntos do Consumidor e Bem-Estar Social da Espanha disse em comunicado que os kits de teste fornecidos pela Shenzhen Bioeasy estavam com defeito e falharam em diagnosticar corretamente as pessoas quando testadas em hospitais.

A empresa rebateu e afirmou que os resultados incorretos podem ser resultado de uma falha na coleta de amostras ou no uso correto dos kits. A Shenzhen Bioeasy admitiu, no entanto, que não havia se comunicado adequadamente com os clientes sobre como usar os kits. (Com informações da Reuters)