Governador de NY anuncia queda no número de mortes e hospitalizações

Ainda assim, Andrew Cuomo afirma que o isolamento será estendido no estado até 15 de maio

Da CNN, em São Paulo
16 de abril de 2020 às 13:22 | Atualizado 16 de abril de 2020 às 14:05
Governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante entrevista coletiva
Foto: Jeenah Moon - 27.mar.2020/ Reuters

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse nesta quinta-feira (16) que houve uma queda no número de mortes e hospitalizações pelo novo coronavírus no estado, mas anunciou que o isolamento será estendido por mais duas semanas, até 15 de maio.

Segundo ele, 606 pessoas morreram nessa quarta-feira (15) por causa do novo coronavírus, menos do que no dia anterior (752). Ele afirmou que houve também uma queda na quantidade de pacientes com a doença que deram entrada nos hospitais, de 18.335 na terça para 18.000 na quarta.

Os números são os mais baixos registrados em mais de uma semana. 

“Isso é um bom sinal. Significa que podemos controlar o vírus, controlar a transmissão dele”, declarou o governador durante uma coletiva de imprensa. "O número de pessoas que deram entrada na UTI (unidade de terapia intensiva) também diminuiu de forma significativa pela primeira vez", afirmou.

Assista e leia também:
Governador de NY diz que não diminuirá restrições mesmo se Trump ordenar
NY decreta fechamento de escolas até fim do ano letivo; governador discorda

Cuomo anunciou que enviará 100 respiradores para New Jersey, e disse que será preciso um “exército” de investigadores de rastreamento para identificar as pessoas que podem ter sido expostas à COVID-19. 

“Reduzimos a taxa de contágio com nossas ações”, declarou Cuomo, acrescentando que o número de mortes e hospitalizações está abaixo dos níveis previstos. “Temos que continuar fazendo o que estamos fazendo.”

O governador informou que Nova York fez mais testes para o novo coronavírus do que Califórnia, Flórida e Michigan juntos. “Fizemos 500 mil testes em 30 dias."

O governor afirmou também que todos devem usar máscaras ao utilizarem sistemas de transportes públicos e privados, como Uber. Segundo Cuomo, cerca de 2 mil pessoas foram diagnosticadas com a COVID-19 no estado de Nova York na quarta-feira.

"Se você tem o vírus, pode infectar outras pessoas. E você tem a responsabilidade de não me infectar se se estiver doente. É aí que a máscara pode ajudar", disse ele.

A partir desta sexta-feira (17), o uso de máscaras será obrigatório no estado a todas as pessoas com mais de 2 anos de idade em lugares públicos quando não houver distanciamento social.

Há mais de 640 mil casos confirmados da doença em todos os estados norte-americanos, cerca de 214,8 mil só no estado de Nova York. Até o momento, 14 mil nova-iorquinos morreram, segundo a Universidade de Medicina Johns Hopkins.

(Com Reuters)