Espanha deve ter quarentena estendida até 9 de maio, diz primeiro-ministro

País é um dos mais afetados do mundo pelo coronavírus, com mais de 20 mil mortos desde o início da pandemia

Reuters
18 de abril de 2020 às 17:22

Em espécie de drive-through funerário, padre benze carro com caixão de vítima do novo coronavírus em Madri, na Espanha

Foto: Carlos Alvarez -26.mar.2020/Getty Images

Em mais uma medida para diminuir os efeitos da pandemia do coronavírus, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, afirmou que irá pedir para o Parlamento mais uma prorrogação da quarentena. Novamente, o período solicitado para que as pessoas permaneçam em casa será de 15 dias. Logo, as restrições serão realizadas até 9 de maio. 

Sanchez manifestou a intenção de relaxar as restrições às crianças, que poderiam sair de suas casas após 27 de abril, mas a premissão estaria "limitada e sujeita a condições para evitar o contágio", sem fornecer detalhes.

A Espanha começou a aliviar um estrito bloqueio imposto em 14 de março e nesta semana abriu alguns setores da economia, incluindo a manufatura. Mas a maioria das pessoas ainda está confinada em suas casas, exceto para saídas essenciais, incluindo compras de alimentos.

Milhares de mortes

O número de mortos na Espanha por coronavírus aumentou em um ritmo mais lento neste sábado (18), mas ultrapassou 20.000.

A quantidade de falecimentos aumentou em 565 neste sábado, ante um crescimento de 585 na sexta-feira, informou o Ministério da Saúde do país. O número de casos de coronavírus aumentou de 188.068 para 191.726.

A Espanha começou a aliviar um rigoroso isolamento determinado em 14 de março e nesta semana abriu alguns setores da economia, incluindo a manufatura.

Mas a maioria das pessoas ainda está confinada em suas casas, exceto para saídas essenciais, como comprar comida, e nem mesmo as crianças podem sair para se exercitar.