Desafiando a quarentena, 100 mil vão a funeral em Bangladesh

Funeal do líder do Partido Islâmico, Maulana Zubayer Ahmad Ansari, fez com que milhares de pessoas saíssem de suas casas em meio ao surto de COVID-19

Abir Mahmud, da CNN
19 de abril de 2020 às 23:22 | Atualizado 19 de abril de 2020 às 23:29
Milhares de muçulmanos de Bangladesh caminham em funeral de um popular líder do Partido Islâmico (18.Abr.2020)
Foto: Masuk Hridoy/AP

Mais de 100 mil pessoas desafiaram a ordem de quarentena em Bangladesh no sábado (19) para comparecer ao funeral de um líder do Partido Islâmico, Maulana Zubayer Ahmad Ansari, no distrito de Brahmanbaria, segundo as autoridades.

O tamanho da multidão foi estimado e confirmado pelo assistente especial do primeiro ministro, Shah Ali Farhad, e pelo porta-voz da polícia de Brahmanbaria, Imtiaz Ahmed.

O funeral de Ansari, um professor islâmico, quebrou a proibição do país de não permitir mais do que cinco pessoas participarem das orações ao mesmo tempo. O motivo, claro, é evitar a transmissão do novo coronavírus.

Dezenas de milhares de pessoas encheram as estradas do distrito de Brahmanbaria. A maioria caminhou de regiões vizinhas para assistir ao funeral, de acordo com Mohammad Mamunul Haque, secretário geral do Partido Islâmico.

A polícia não conseguiu controlar a multidão e os oficiais do estado encarregados em conter o evento foram afastados. Também houve a criação de um comitê de investigação para entender como uma multidão tão grande conseguiu se reunir em tão pouco tempo, disse Sohel Rana, porta-voz da central de política de Bangladesh.

Até domingo, o país registrou 2.456 casos positivos de COVID-19 e 91 mortes, mas as autoridades dizem que os números reais devem ser maiores já que há falta de kits para testes.