Mundo ainda tem ‘longo caminho a percorrer’, diz OMS sobre pandemia

Diretor-geral da organização afirma que, apesar da redução de casos em alguns países, o ‘vírus continua extremamente perigoso’

Da CNN, em São Paulo
22 de abril de 2020 às 13:36 | Atualizado 22 de abril de 2020 às 13:39
Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, durante coletiva de imprensa sobre o novo coronavírus
Foto: Reprodução - 17.abr.2020/ Reuters

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas (OMS), Tedros Adhanom, disse que ainda há um “longo caminho a se percorrer” no combate ao novo coronavírus no mundo. 

Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (22), ele afirmou que, enquanto o surto da doença no oeste europeu parece ter se estabilizado ou até diminuído, a COVID-19 está ganhando espaço na África, América Central e do Sul, e no leste da Europa.

Adhanom fez um alerta contra a complacência, dizendo que as medidas de isolamento ajudaram a conter uma propagação ainda maior do vírus. Segundo ele, muitos países ainda estão nos estágios iniciais da pandemia, e aqueles que foram atingidos no início começam a ver um ressurgimento de casos.

Assista e leia também:
Motorista que levava testes para a COVID-19 morre em ataque a carro da OMS
Em reunião do G20, OMS pede que países tenham cuidado ao flexibilizar quarentena
Brasil receberá milhões de testes contra coronavírus na próxima semana, diz OMS

“Não se enganem, temos um longo caminho a percorrer. O vírus ficará conosco por muito tempo”, disse Adhanom. “Não há dúvidas que ficar em casa e adotar outras medidas de distanciamento físico conseguiram reduzir a transmissão em muitos países. Mas esse vírus continua extremamente perigoso.”

O diretor-geral afirmou que, mesmo com a redução no número de casos em certos países, o “vírus pode facilmente reacender”. Além disso, ele voltou a falar sobre a importância de realizar a maior quantidade de testes possíveis para se detectar a doença.

"O mundo não voltará e não pode voltar a ser como era", disse Adhanom. "É preciso haver um novo normal, um mundo mais saudável, mais seguro e mais bem preparado."