Respirador pessoal de Stephen Hawking é doado para ajudar no combate à COVID-19

O aparelho respiratório foi entregue ao hospital onde o cientista foi tratado, em Cambridge

Da CNN, em São Paulo
22 de abril de 2020 às 13:00
A equipe de profissionais da saúde do hospital Royal Papworth, em Cambridge, recebe respirador que foi de uso pessoal de Stephen Hawking, em 22.abr.2020.
Foto: Reprodução/Facebook

A família do astrofísico britânico Stephen Hawking doou o respirador pessoal do cientista ao hospital onde ele foi tratado, em Cambridge. De acordo com a filha, Lucy Hawking, o Royal Papworth Hospital havia dado ao pai apoio médico "brilhante, dedicado e sensível" antes de ele morrer, aos 76 anos, em 14 de março de 2018.

“Percebemos que, se ele estivesse vivo, estaria na linha de frente da pandemia. Entramos em contato com alguns de nossos velhos amigos para perguntar se poderíamos ajudar", explicou Lucy em comunicado divulgado nesta quarta-feira (22).

Após a morte do físico, afetado desde a juventude por uma doença degenerativa, sua família devolveu ao hospital o equipamento respiratório que o Serviço Nacional de Saúde Britânico (NHS) lhe havia fornecido.

Mas Hawking havia comprado algumas outras máquinas, explicou sua filha. "Agora estamos as entregando ao NHS na esperança de que ajudem na luta contra a COVID-19", falou Lucy, que elogiou o papel "incrivelmente importante" que o Royal Papworth Hospital desempenhou em "tempos realmente difíceis" para o seu pai.

Respirador doado que foi de Stephen Hawking, doado em abril de 2020.
Foto: Reprodução/Facebook

A doação ocorre no momento em que o Reino Unido, que foi gravemente atingido pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19) com mais de 17.000 mortes em hospitais, carece de equipamentos médicos para lidar com a crise.


Leia também:

STF determina entrega de respiradores ao estado do Maranhão em 48h

Segundo o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, o país tinha entre 9.000 e 10.000 respiradores no NHS no início de abril e mais 2.000 em clínicas particulares. Hancock anunciou a chegada de 1.500 máquinas adicionais nas próximas semanas.