Suriname é o país com menor número de casos de coronavírus na América do Sul

Lockdown foi decretado no país logo após o primeiro caso da doença, em 13 de março. Atualmente, não há casos ativos registrados

Daniel Motta, da CNN
09 de maio de 2020 às 00:45
Rua de Paramaribo, capital do Suriname
Foto: SurinameTourism.sr/Reprodução


Com dez casos confirmados de Covid-19 e uma morte, o Suriname é o país da América do Sul com os menores índices de contágio do novo coronavírus. Das 187 nações onde há registros da doença, o Suriname está entre os sete com menos ocorrências, segundo o mapa de rastreamento global da Universidade Johns Hopkins. O lockdown foi decretado no país sul-americano após o primeiro caso de coronavírus, em 13 de março.

O Ministério da Saúde local diz que dos 10 casos que foram confirmados, nove pessoas foram curadas e uma morreu. Não há novos pacientes desde 31 de março.

A maior preocupação do Suriname é com a travessa ilegal através dos rios. A região, na Floresta Amazônica, é usada como rota clandestina por brasileiros que exploram garimpos de ouro. Para controlar a situação e impedir o ingresso de estrangeiros ao país, uma força-tarefa composta por policiais médicos e autoridades do governo reforçam o controle nas áreas onde é possível entrar no país pelos rios.  

Segundo dados do Ministério da Saúde surinamês, o primeiro caso de paciente com Covid-19 foi registrado na capital Paramaribo e se tratava de uma mulher que esteve na Holanda, onde contraiu a doença. 

Os aeroportos e fronteiras foram fechados no dia seguinte a confirmação do primeiro caso e o isolamento social passou a ser controlado. O comércio foi fechado e apenas serviços essenciais considerados essenciais como farmácias tiveram permissão para funcionar. Das 20h as 6h, não é permitida a circulação de pessoas pelas ruas. Em caso de descumprimento, elas são levadas para uma delegacia de polícia.

O governo do Suriname acredita que as regras de lockdown tiveram êxito e que a doença está controlada no país. Segundo o comitê de gerenciamento da Covid-19, o país não registra nenhum novo paciente desde o dia 31 de março, tem apenas um óbito e 90% dos positivados já estão recuperados.

“O último infectado pela Covid-19 foi negativo em seus dois últimos testes. A pessoa infectada foi declarada curada com o resultado, que foi recebido em 2 de maio de 2020 e, portanto, autorizada a voltar para casa. Isso significa que nosso país atualmente não possui casos positivos para COVID-19”, diz em nota o Comitê de gerenciamento de crises de Covid-19.

A situação na fronteira é o que mais preocupa a equipe de gerenciamento de crises Covid-19. Ainda existem pessoas atravessando ilegalmente fronteiras e rios no Suriname.

O bloqueio total desses rios fronteiriços, foi iniciado e visa minimizar o risco de novas infecções. Até 10 de maio de 2020, a polícia, o pessoal militar, a Missão Médica, os comissários distritais e as autoridades tradicionais do interior trabalharão juntos para manter o interior e o restante do Suriname livres de coronavírus 

Além do Brasil, o Suriname faz fronteira com a Guiana, que tem 94 casos de Covid-19 e com a Guiana Francesa, que contabiliza 141 casos,  conforme o  mapa de rastreamento da Universidade Johns Hopkins.