As 10 mulheres que Joe Biden pode escolher como vice-presidente 

Com aumento da representatividade feminina na política americana, as ex-presidenciáveis Kamala Harris e Amy Klobuchar são as favoritas a vaga

Chris Cillizza, da CNN
15 de maio de 2020 às 17:38 | Atualizado 15 de maio de 2020 às 17:41
Após eleições em novembro de 2018, as mulheres representam 1/4 do congresso americano, recorde histórico do país; ao escolher uma figura feminina para vice-presidência, Biden deve reconhecer tendência (4.jan.2019)
Foto: Leah Millis/Reuters

Converse com qualquer pessoa que saiba algo sobre o processo de escolha da futura vice-presidente do candidato democrata Joe Biden e todos dirão a mesma coisa: são as senadoras Kamala Harris (Califórnia) e Amy Klobuchar (Minnesota) - e em seguida todas as outras. Ou seja, o Top 10 é, de fato, um Top 2. 

É o quadro de hoje, pelo menos. Como Jeff Zeleny e Dan Merica, da CNN, escreveram no início desta semana: “Joe Biden diz que está de olho em uma dúzia de mulheres como possíveis companheiras de chapa, mas as pessoas próximas a ele acreditam que a lista é muito mais curta, já que um profundo processo de verificação é acionado sempre que a lista aumenta".

Os dois analistas também informaram que Biden está consultando constantemente o ex-presidente Barack Obama sobre o seu processo de escolha – e estudou o modelo que levou Obama a escolhê-lo em 2008 como vice-presidente. O processo de Obama (escolher um ex-rival para a indicação, alguém com quem você deu liga) coloca Klobuchar e Harris bem à frente do pelotão. 

Agora, estar na frente na lista de candidatos a vice-presidente dos Democratas em maio está longe de garantir que você será a melhor escolha, como apontou Lauren Dezenski em análise recente. Se assim fosse, Donald Trump teria escolhido Marco Rubio, senador da Flórida, como seu companheiro de chapa em 2016. E Hillary Clinton teria escolhido Elizabeth Warren, senadora de Massachusetts. 

Leia também:

Obama critica a postura da Casa Branca no combate à pandemia

Aprovação de Trump despenca com mortes por coronavírus e Biden abre vantagem

Ainda assim, ao avaliar as desvantagens dessa corrida, não resta dúvida de que Harris e Klobuchar estão em bem à frente das outras oito mulheres da minha lista. 

Falando na lista, vamos a ela! Lembrando que a ex-primeira-dama Michelle Obama não está incluída porque não deu nenhuma indicação de que realmente aceitaria a indicação de vice-presidente se fosse oferecida. 
  
10. Tammy Duckworth: A senadora de Illinois parece estar fazendo um esforço planejado para aumentar suas chances na escolha como candidata à vice. Um exemplo recente: Duckworth concedeu uma entrevista ao "The View" nesta semana na qual criticou fortemente a resposta do governo Trump à pandemia de coronavírus e respondeu a perguntas sobre seu próprio futuro político. “Tenho certeza de que eles têm seu próprio processo de como escolherão o vice-presidente e isso depende deles", disse.
  
9. Stacey Abrams: A ex-candidata ao governo da Geórgia apoiou oficialmente Biden no início desta semana (meio tarde, não?) e procurou esclarecer seus comentários anteriores de que não estaria interessada em ser sua vice-presidente. 
“Se as pessoas prestarem atenção àquilo que eu disse em março, verão que nunca vacilei durante as últimas semanas. Eu sempre disse que ninguém concorre ao segundo lugar nas primárias, mas ficaria honrada em servir com o candidato escolhido, e isso permanece verdadeiro." 
  
8. Val Demings: Joe Biden confirmou que a deputada da Flórida está entre suas escolhas para ser sua vice-presidente em uma entrevista no final da semana passada com uma rede de TV da Flórida. 
“Ela faz parte de um grupo de quase uma dúzia de mulheres realmente qualificadas e talentosas que fazem parte da lista", afirmou Biden sobre Demings, acrescentando: “Ela é uma pessoa muito competente, muito capaz." A deputada também é uma mulher negra com base política em um dos principais centros populacionais de um dos estados mais decisivos nas eleições.

7. Gretchen Whitmer: A governadora do estado de Michigan participou de uma mesa-redonda sobre a pandemia do coronavírus com Biden no dia 14 de maio, quinta-feira, uma prova de que ela se tornou uma participante importante na resposta nacional à Covid-19 (Whitmer também se tornou um grande alvo para manifestantes e para Donald Trump). O maior problema da governadora é que a maioria dos Democratas quase não a conhece. Em uma pesquisa da CNN divulgada nesta semana, mais de 6 em cada 10 eleitores não sabiam o suficiente para dar uma opinião sobre ela.

6. Susan Rice: Em termos de experiência nos mais altos níveis do governo, ninguém nesta lista pode se aproximar de Rice - que passou algum tempo no governo Barack Obama como consultora de segurança nacional e foi embaixadora dos EUA nas ONU. O problema de Rice é que, bem, ela está envolvida nos mais altos níveis do governo há muito tempo. Ou seja, ela terá de lidar com perguntas sobre sua resposta aos ataques de Benghazi em 2012 e a recente reportagem de "desmascaramento" do tenente-general aposentado Michael Flynn. É uma bagagem pesada. Será que Biden quer carregá-la de bom grado?
  
5. Keisha Lance Bottoms: A prefeita de Atlanta tem sido o centro das atenções nos últimos dias por causa da morte de Ahmaud Arbery, no sul do estado da Geórgia, crime que repercutiu amplamente nos EUA. “É de nos destroçar que em estejamos em 2020 e haja o linchamento de um homem afro-americano", disse Lance Bottoms ao âncora da CNN Jake Tapper. Sua prontidão em tratar do caso – assim como seu papel de oposição ao governador da Geórgia Brian Kemp na questão sobre a reabertura do estado em meio à pandemia – tornaram KLB muito mais conhecida pelos Democrata em geral.

4. Catherine Cortez Masto: As especulações em torno de Cortez Masto diminuíram um pouco nos últimos tempos, mas ela ainda faz uma todo sentido como candidata, pelo menos no papel: é latina, senadora e vem de um estado decisivo, Nevada.
  
3. Elizabeth Warren: É difícil ignorar o tamanho da popularidade de Warren entre a base democrata. Sete em cada 10 eleitores democratas têm uma opinião favorável dela na nova pesquisa da CNN, e apenas 19% têm uma visão desfavorável. Tais dados batem com a pesquisa da CBS divulgada no início de maio que mostrou que 7 em 10 democratas achavam que Warren deveria ser escolhida como candidata a vice-presidente de Biden – a maior porcentagem de qualquer uma das possíveis companheiras de corrida em 2020. Mas, como observei acima, só porque ela é popular não significa que será a escolhida. Ao mesmo tempo, dificulta um possivel veto da equipe de Biden.

2. Amy Klobuchar: A senadora de Minnesota é a escolha certa se as considerações geográficas e ideológicas forem mais importantes para Biden. Ela é do Centro-Oeste do país e se orgulha do tipo de pragmatismo centrista que ele também adota. No entanto, se Biden quiser diversificar a cédula de votação o máximo que puder (escolhendo uma mulher não-branca ou um liberal que não se envergonha disso), Klobuchar provavelmente ficará de fora.


  
1. Kamala Harris: Não há dúvida de que a senadora da Califórnia está no topo do ranking agora. E, como Christopher Cadelago, do site Politico, observou em um texto fantástico sobre Harris, os rancores trazidos por seu ataque a Biden (ela o acusou de se aliar a senadores segregacionistas no início dos anos 70) parecem ter sumido após as primárias. Para resumir, Harris pontua em quase todos os quesitos para ser vice de Biden.

Tuíte da senadora da Califórnia elogioso à agenda para a população afro-americana é sinal de tentativa de unidade no Partido Democrata