Orquestra boliviana voltará para casa após meses retida em castelo alemão

Grupo ficou em isolamento por 80 dias em um castelo alemão

Reuters
28 de maio de 2020 às 19:07
Orquestra tradicional boliviana que estava presa na Alemanha devido a restrições de viagem para conter Covid-19
Foto: Hannibal Hanschke/Reuters (27.mai.2020)

Os membros de uma orquestra boliviana que inclui flautas tradicionais esperam voltar para casa na próxima semana depois de ficarem retidos em um castelo alemão durante cerca de 80 das devido à pandemia de Covid-19.

Os 20 jovens músicos da Orquestra Experimental de Instrumentos Nativos chegaram à Alemanha no dia 10 de março para se apresentarem em um festival musical, mas o evento foi cancelado e dias depois a Alemanha iniciou uma quarentena para se proteger do novo coronavírus.

Eles tentaram voltar para seu país, mas o ônibus que os levava ao aeroporto quebrou na estrada, e pouco depois a Bolívia fechou as fronteiras.

Os músicos, que em sua maioria nunca haviam viajado ao exterior, se hospedaram em uma academia musical nos terrenos do Castelo de Rheinsberg do século 15, no leste da Alemanha, onde Frederico, o Grande, disse ter passado os dias mais felizes de sua vida como príncipe herdeiro.

O diretor da orquestra, Carlos Gutiérrez, comentou que eles aproveitaram o tempo no local, apesar das circunstâncias.

"Eles foram ao bosque, sabem muito sobre os lagos, visitaram a cidade", disse, acrescentando que a maioria dos músicos passou a maior parte da vida em uma cidade de 4.350 habitantes.

Castelo de Rheinsberg, na Alemanha
Foto: Rolf Krahl/Wikipedia (21.mai.2017)

A mídia local disse que o castelo é mal-assombrado e rodeado por alcateias, mas nenhum dos músicos viu um lobo, disse Gutiérrez.

Agora eles estão concentrados em voltar para casa depois de uma estadia "que cada dia ficou mais difícil", disse Isabel Sanjinés Rodríguez, de La Paz.

A orquestra acredita que regressará à sua terra-natal via Madrid em 1º de junho, quando se acredita que a Bolívia cancelará as restrições aos voos internacionais.