Polícia do Vaticano realiza nova operação após suspeita de corrupção

Documentos e computadores foram confiscados para uma investigação

Philip Pullella, da Reuters
30 de junho de 2020 às 17:50
Domo da Basílica de São Pedro vista de uma janela do Castelo de Sant'Angelo, em Roma
Foto: Ahmed Jadallah/Reuters

A polícia do Vaticano fez uma operação no departamento a cargo da manutenção e da reforma da Basílica de São Pedro nesta terça-feira (30), confiscando documentos e computadores para uma investigação devido a uma suspeita de corrupção.

A batida foi semelhante a uma realizada em outubro que envolveu uma investigação sobre outro departamento, esta a respeito da compra de um edifício em uma área nobre de Londres.

Leia também:

Papa, em seu primeiro pronunciamento pós-lockdown, agradece médicos italianos

Um comunicado da assessoria de imprensa do Vaticano disse que o material foi apreendido nos escritórios técnicos e administrativos da Fabbrica di San Pietro, cuja origem remonta ao século 15, antes mesmo da construção da atual basílica começar.

Magistrados do Vaticano ordenaram a operação em reação a uma pista do escritório do auditor-geral, informou o comunicado, sem dar detalhes, mas dizendo que o papa Francisco nomeou um comissário para gerenciar o departamento temporariamente.

O comissário foi encarregado de reorganizar o departamento e atualizar seus estatutos na esteira de um documento papal de 1º de junho que adotou novas regras abrangentes para aquisições e gastos de forma a diminuir o risco de corrupção na concessão de contratos.

O comunicado mencionou especificamente as novas regras, o que leva a crer que a ação desta terça-feira pode ter algo a ver com a concessão de um contrato.

Atualmente, o departamento supervisiona a reforma do domo da basílica, que há pouco tempo foi parcialmente cercado de andaimes.