EUA registram recorde de candidatas negras nas eleições de 2020

Enquanto as mulheres negras são quase 8% da população, ocupam apenas 4% das cadeiras do Congresso, mas elas estão dispostas a mudar o jogo

Núria Saldanha e Fernando Henrique, da CNN, nos Estados Unidos
28 de julho de 2020 às 23:47 | Atualizado 28 de julho de 2020 às 23:49


Um total de 129 mulheres negras entrou na disputa eleitoral de 2020 nos Estados Unidos: 98 democratas e 31 republicanas. Um número recorde na história do país.

Elas buscam representatividade em um momento em que a pandemia ressalta as desigualdades no país. Além de todo o sofrimento causado pelo novo coronavírus que mata mais as minorias (negros e latinos), os afro-americanos também são os mais afetados pelo desemprego e tem renda média 40% menor que os brancos.

Leia também:
Trump defende hidroxicloroquina e reclama de popularidade de Fauci

Enquanto as mulheres negras são quase 8% da população, ocupam apenas 4% das cadeiras do Congresso, mas elas estão dispostas a mudar o jogo.

Sheila é advogada e mãe de uma menina com dificuldades de aprendizagem que requer cuidados especiais. Em busca de tratamento para a filha, há 10 anos ela viaja para Washington, capital do país, para conversar com legisladores sobre as falhas no sistema de saúde nos Estados Unidos. Hoje, a afroamericana é candidata a deputada pelo estado da Flórida.

“É hora de termos assentos (no Capitólio) para garantir a mudança que todo o país precisa” diz Sheila McCormick.