Universidade contabiliza 10 milhões de recuperados do novo coronavírus no mundo

Universidade Johns Hopkins indica mais de 10 milhões pessoas livres do vírus. Há, porém, diferenças sobre os critérios e a contagem do número em cada país

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
31 de julho de 2020 às 00:23 | Atualizado 31 de julho de 2020 às 00:46
Paciente tem alta de hospital de campanha em Belém (PA)
Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

Pouco menos de 24 horas após registrar a soma de 17 milhões de casos confirmados do novo coronavírus no mundo desde o início da pandemia, a universidade americana Johns Hopkins apontou, no fim de noite desta quinta-feira (30), que 10 milhões de pessoas em todo o planeta já podem ser consideradas recuperadas do vírus.

Leia também:
Entenda como pessoas que não tiveram Covid-19 podem ter imunidade ao vírus

Às 23h50 da quinta-feira (horário de Brasília), o painel atualizado em tempo real da Johns Hopkins registrava 10.084.439 recuperados da doença no mundo - 1.956.807 deles no Brasil.

A classificação indica que essas pessoas sobreviveram ao vírus e podem ser consideradas curadas. É importante considerar, no entanto, que cada país adota critérios próprios para identificar um paciente como livre do vírus e há governos e entidades que não disponibilizam oficialmente esse dado - apontado como impreciso por alguns especialistas.

O Brasil é, desde junho, indicado pelo painel da Johns Hopkins como o país com mais "recuperados" no mundo. Há, porém, divergências sobre a contagem dos Estados Unidos, país que teve quase 2 milhões de casos confirmados a mais do que o Brasil, mas não informa as "recuperações" de forma unificada.

Os números compilados pela Johns Hopkins são atualizados várias vezes no mesmo dia. Segundo a universidade, os dados vêm de fontes como a OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades de saúde de diferentes países.

Na noite desta quinta-feira, a Johns Hopkins registra 17.237.642 casos do novo coronavírus no mundo e 671.909 mortes por complicações relacionadas ao vírus, que causa a Covid-19.

Diferentes contagens

A Johns Hopkins é uma das poucas instituições que conta nacionalmente o número de recuperados nos Estados Unidos e há registros distintos para esse dado. O site World Meter, que também atualiza dados sobre o vírus em tempo real com levantamento de diversas fontes, dá um número bem diferente de recuperados: 2.284.965 nos Estados Unidos e 10.937.771 em todo o mundo até a noite desta quinta-feira.

Não há informações sobre o total de recuperados por país no painel em tempo real da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do CDC, órgão do governo americano que divulga dados sobre a doença.

Em entrevista à CNN em abril, Douglas Donovan, porta-voz da Johns Hopkins, comentou a falta uniformidade nos dados americanos sobre recuperações, que não são considerados prioritários pelo CDC. Segundo especialistas, esses números podem ser imprecisos.

"Não existe um método uniforme para relatar recuperações nos Estados Unidos. Se isso mudar, o painel refletirá esses números de acordo", disse Donovan. Ele reconheceu que contagens de recuperados são feitas com "estimativas em nível de país com base em relatórios da mídia local e podem ser substancialmente inferiores ao número real".