Joe Biden escolhe Kamala Harris como sua candidata a vice

Harris é ex-procuradora-geral e senadora pelo estado da Califórnia

Anna Satie, da CNN, em São Paulo
11 de agosto de 2020 às 17:19 | Atualizado 11 de agosto de 2020 às 20:35

A senadora do estado da Califórnia Kamala Harris foi escolhida nesta terça-feira (11) como a companheira da chapa presidencial do democrata Joe Biden.

Kamala Harris é a primeira mulher negra a integrar a candidatura à Presidência por um dos grandes partidos dos Estados Unidos. Ela chegou a disputar a nomeação democrata, mas deixou a corrida em dezembro de 2019.

O anúncio foi feito após uma seleção realizada em absoluto segredo, com a maioria dos funcionários de campanha, doadores e até amigos pessoais de Biden sem ideia de quem seria selecionada.

O ex-vice-presidente publicou a escolha em seu perfil do Twitter. "Tenho a grande honra de anunciar que escolhi Kamala Harris, uma lutadora corajosa pelas minorias, e uma das melhores servidoras do país, como minha companheira de chapa", escreveu. 

"Quando Kamala era procuradora-geral, ela trabalhou proxima de Beau [filho falecido de Biden]. Eu observei quando eles foram atrás de grandes bancos, levantaram os trabalhadores e protegeram mulheres e crianças de abusos. Eu fiquei orgulhoso lá e estou orgulhoso agora de tê-la como companheira nesta campanha", concluiu. 

Leia também:

Kamala Harris: quem é primeira negra em chapa nacional nos EUA

Inteligência dos EUA: China torce contra Trump e Rússia quer prejudicar Biden

Professor que adivinha resultado das eleições desde 1984 diz que Trump perde

Protestos contra o racismo nos Estados Unidos colocaram a senadora Kamala Harris como principal nome para concorrer a vice-presidente
Foto: Twitter/@KamalaHarris

A senadora também se manifestou pela rede social, dizendo que Biden pode unificar o povo americano. "Ele passou sua vida lutando por nós. E como presidente, ele construirá uma América à altura dos nossos ideais", declarou.

"Estou honrada por me juntar a ele como indicação do nosso partido a vice-presidente, e fazer o que for necessário para fazer dele nosso comandante-chefe". 

A chapa de Biden e Harris será oficializada na próxima semana durante a convenção nacional do partido democrata, que será feita virtualmente, de várias localidades, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Os democratas estão na dianteira em relação ao atual presidente Donald Trump, mostram as pesquisas eleitorais nacionais recentes. 

A escolha da vice de Biden foi feita sob grande escrutínio, dada a idade avançada do ex-vice-presidente. Com 77 anos, caso seja eleito, ele será o presidente mais velho da história dos Estados Unidos.

A reação de Trump

Logo após a publicação de Biden, o presidente Donald Trump usou a mesma rede social para divulgar um vídeo que chama Harris de "falsa" e diz que a senadora pertence à "esquerda radical".

"Os eleitores rejeitaram Harris, eles astutamente perceberam uma falsa. Não Joe Biden, ele não é tão inteligente", diz a gravação.

Há menos de duas semanas, Trump disse que Kamala Harris seria uma "boa escolha" para vice.

A fala foi no dia 29 de julho, na Casa Branca. Questionado sobre como ele avaliaria Harris como vice-presidente, Trump respondeu, "Eu acho que ela seria uma boa escolha". 

Quem é Kamala Harris

Joe Biden, candidato democrata à presidência dos EUA, ao lado da senadora Kamala Harris
Foto: Lucas Jackson/Reuters (31.jul.2019)

Kamala Harris tem 55 anos e está em seu primeiro mandato como senadora do estado da Califórnia.

Filha de pais imigrantes da Jamaica e da Índia, ela foi a primeira mulher e a primeira negra a se tornar procuradora-geral do estado da Califórnia. Harris teria atuado ao lado de Beau Biden, filho de Joe que morreu de câncer em 2015.

Ela é conhecida pela severidade no enfrentamento ao crime, o que a torna uma adição estratégica para a cédula democrata – Biden tem sido atacado pelo adversário, o presidente Donald Trump, por suposta leniência com a marginalidade.

Harris chegou a concorrer para ser a cabeça da chapa do partido nas eleições presidenciais deste ano, mas perdeu apoio e deixou a pré-candidatura em dezembro de 2019.

Em março deste ano, ela já havia oficializado seu apoio a Biden.

(Com informações da CNN Internacional)