Kamala estreia como vice de Biden e diz que Trump 'não está à altura do cargo'

Candidata a vice-presidente na chapa democrata critica forma como republicano lidou com a pandemia e exalta legado do governo Obama

Eric Bradner, da CNN
12 de agosto de 2020 às 22:20 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 22:55

A senadora Kamala Harris apresentou o discurso democrata contra o presidente Donald Trump em sua primeira fala como candidata a vice-presidente na chapa de Joe Biden nesta quarta-feira (12). Harris disse que Trump "não está à altura do cargo".

Harris e Biden apareceram juntos pela primeira vez em Delaware, no dia seguinte à escolha da democrata da Califórnia como companheira de chapa de Biden, fazendo história como a primeira mulher negra e primeira descendente de indianos em uma chapa dos grandes partidos norte-americanos.

Em seu discurso, Harris fez críticas duras à forma como Trump lidou com a pandemia do novo coronavírus, comparando com as mortes perdidas para o Ebola, quando dois americanos morreram, durante o governo do ex-presidente Barack Obama, que tinha Biden como seu vice.

Ela também confrontou a condução feita por Trump dos impactos econômicos causados pela crise. "Ele herdou de Barack Obama e Joe Biden a mais longa expansão econômica da história. E então, como todo o mais que ele herdou, correu direto para o chão", criticou.

"Isso é o que acontece quando nós elegemos uma pessoa que simplesmente não está à altura do cargo", disse Harris. "Nosso país termina em farrapos, e assim também fica a nossa reputação ao redor do mundo."

Os dois discursos – primeiro Biden, depois Harris –  serviram como introduções ao novo tíquete democrata. Mas também foram uma prévia de como Biden, Harris e aliados vão atacar o mandato de Trump e do vice-presidente Mike Pence durante a Convenção Nacional Democrata – marcada para ocorrer, virtualmente, na próxima semana – e também na própria corrida para as eleições de 3 de novembro.

Antes de introduzir Kamala Harris, o candidato democrata Joe Biden disse que a eleição coloca questões morais que os americanos precisam responder. "Quem nós somos enquanto nação?", questionou. "O que nós defendemos? E mais importante, o que nós queremos ser?"

Beau Biden

Em seu discurso, Joe Biden diz que ele ouviu falar a primeira vez sobre Kamala Harris a partir da amizade dela com Beau Biden, filho do ex-presidente que morreu de câncer cerebral em 2015.

"Kamala, você foi uma Biden honorária por um bom tempo", ele disse ao introduzir Harris. Durante o período da grande recessão, a senadora era procuradora-geral da Califórnia enquanto o filho do ex-vice-presidente ocupava o mesmo cargo no estado de Delaware.

Segundo Kamala Harris, eles se falavam diariamente, às vezes em várias oportunidades no mesmo dia.

"Eu aprendi rapidamente que Beau era o tipo de cara que inspira as pessoas a serem uma versão melhor delas mesmas. Ele realmente era o melhor entre nós. E se eu perguntasse a ele de onde ele tinha obtido aquilo, de onde vinha aquilo, ele sempre falava sobre o pai", relembrou a senadora.

"O amor que eles compartilhavam era incrível de assistir. Foi a mais bonita demonstração de um pai e um filho."

Os comentários sublinham que ambos os candidatos – publicamente, ao menos – deixaram para trás os ataques de Harris a Biden a respeito do passado do ex-vice-presidente e da política do "busing", como era conhecido o transporte que possibilitava a jovens negros estudarem em escolas melhores, em regiões majoritariamente brancas.

Kamala Harris trouxe o assunto à tona durante um debate realizado em junho de 2019 entre os pré-candidatos democratas à Presidência.

Assista e leia também:

Por que Kamala Harris venceu a corrida para a vice-presidência
Kamala Harris já se posicionou contra a política ambiental do governo brasileiro
Biden escolheu Kamala para evitar prejuízos, diz analista da CNN americana

Candidata democrata a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris 12/08/2020
Foto: Carlos Barría/Reuters

No evento de hoje, Joe Biden disse que, com a senadora na chapa democrata, "pequenas meninas negras, que tão frequentemente se sentem diminuídas em suas comunidades, hoje talvez sintam que estão vendo elas mesmas em um novo jeito pela primeira vez".

Biden começou o discurso em Wilmington agradecendo a outras mulheres que foram analisadas pela sua campanha como uma possível escolha para concorrer a vice, antes da escolha por Harris, filha de imigrantes da Índia e da Jamaica, na terça-feira (11).

"Como filha de imigrantes, ela conhece pessoalmente como famílias imigrantes enriquecem o nosso país", disse. "A história dela é a história dos Estados Unidos".

Joe Biden também criticou Trump por imediatamente se referir a Kamala Harris como "suja", um termo que o presidente usou para tratar de outras mulheres no passado.

"Alguém está surpreso que Donald Trump tem problemas com uma mulher forte, uma mulher forte de várias formas?", disse o democrata.

Ele acrescentou: "Kamala Harris protegeu vocês e, agora, nós temos que protegê-la. Ela vai enfrentar essa campanha comigo e todos nós vamos estar lá para apoiá-la."

Primeiro dia

Esta quarta-feira foi o primeiro dia em que Biden e Harris fizeram campanha juntos pessoalmente. 

Joe Biden, Kamala Harris, a mulher do ex-vice-presidente, Jill Biden, e Doug Emhoff, marido da senadora, se encontraram na casa de Joe Biden antes do discurso e foram vistos partindo para o discurso em Wilmington em veículos separados.

Biden ainda brincou que Emhoff também terá que ajustar o seu status histórico caso a chapa seja vitoriosa, sendo "o primeiro segundo cavalheiro dos Estados Unidos".

Ainda não está claro se os dois poderão continuar fazendo campanha juntos, com a pandemia do coronavírus dificultando a possibilidade de Biden promover eventos desde meados de março. 

Assista e leia também:

Kamala Harris, vice de Biden, passou a carreira quebrando barreiras
Kamala Harris: quem é primeira negra em chapa nacional nos EUA
Trump se diz surpreso com escolha de Biden e critica Kamala Harris

A Convenção Nacional Democrata da próxima semana vai ser a largada inicial de uma corrida frenética de dois meses e meio até as eleições de 3 de novembro, mas a pandemia restringiu Biden a eventos para pequenos grupos e com distanciamento social.

Ele passou o mês de julho dando discursos semanais detalhando seus planos para a economia.

Após o discurso desta quarta, Biden e Harris agendaram participação em um evento online de arrecadação de recursos com pequenos doadores. Questionado pela CNN se os dois fariam campanha juntos, Biden disse após os discursos que "se a ciência nos permitir, você nos verá pedindo voto juntos". 

(Texto traduzido. Clique aqui e leia o original em inglês)