Vacina não fica pronta nos EUA antes de eleição, diz Moderna

Moderna foi a primeira empresa a iniciar a terceira fase de testes clínicos de uma vacina contra o coronavírus nos Estados Unidos

Giulia Pereira, da CNN, em São Paulo*
14 de agosto de 2020 às 17:10 | Atualizado 14 de agosto de 2020 às 18:10
Sede da Moderna em Massachusetts, nos Estados Unidos (18/05/2020)
Foto: Brian Snyder/Reuters

Evan Anderson, o principal pesquisador do ensaio clínico da vacina contra covid-19 da empresa de  biotecnologia Moderna, na Universidade Emory, disse que o ensaio não deve produzir resultados antes do dia da eleição americana, em novembro. 

“Nesse momento, na melhor das hipóteses, parece muito improvável que tenhamos qualquer resultado antes do final de novembro ou dezembro, na minha opinião. Muito depende de quanto a covid-19 está circulando na comunidade no momento em que o estudo está em andamento ”, disse Anderson em uma entrevista com Kate Bolduan, da CNN.

Leia mais:
Anti-inflamatório acelera a recuperação de pacientes hospitalizados com Covid-19
Vacina americana: a promessa tecnológica da Moderna

A Moderna foi a primeira empresa a iniciar a terceira fase de testes clínicos de uma vacina contra o coronavírus nos Estados Unidos.

Anderson também disse que estudos de análise para dosagem e respostas da vacina em crianças seriam necessários para determinar se a mesma seria segura para essa faixa etária, entre outras advertências que podem “demorar um pouco”.

“Acho que seria bom poder começar esses estudos em breve, para que possamos ajudar a proteger as crianças da Covid-19, pois é bastante claro que elas estão sendo infectadas com alguma frequência, além de sofrerem risco de vida e fatalidades relacionados à doença e à síndrome inflamatória que ocorre depois”, disse ele.

(*Estagiária sob supervisão de Evelyne Lorenzetti).