Coreia do Sul e EUA atrasam exercícios militares por preocupações com a Covid-19

Países adiaram exercícios conjuntos anuais em dois dias, para a terça-feira (18). Mídia informou que oficial sul-coreano testou positivo para o novo coronavírus

Hyunjoo Jin, da Reuters
16 de agosto de 2020 às 02:48
General americano Scott Pleus, comandante das Forças Aéreas das Forças dos Estados Unidos na Coreia
Foto: USFK/ Twitter/ Reprodução


A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciarão seus exercícios militares conjuntos anuais na terça-feira (16), em um atraso de dois dias após um oficial sul-coreano testar positivo para o novo coronavírus - segundo informou a mídia local.

Os exercícios começarão na terça-feira, "considerando a situação do Covid-19", disse o Estado-Maior Conjunto da Coréia do Sul no domingo.

Leia também:
EUA afirmam que apoio financeiro ao Líbano depende de reformas

O treinamento, que estava programado para começar no domingo, foi adiado após o teste positivo na sexta-feira do oficial do Exército, que deveria ter participado, disse a Agência Yonhap de Notícias.

Os exercícios combinados são monitorados de perto pela Coreia do Norte, que os chama de "ensaio para a guerra". Eles foram reduzidos nos últimos anos para facilitar as negociações dos EUA com o objetivo de desmantelar os programas nucleares de Pyongyang.

Os exercícios deste ano serão reduzidos, não mobilizando tropas baseadas nos EUA em meio às restrições do Covid-19 às viagens de pessoal dos EUA para a Coreia do Sul.

O programa deste ano, que vai até 28 de agosto, se concentrará em uma "postura de defesa combinada", enquanto os exercícios para a transição do controle operacional em tempo de guerra na península coreana serão "parcialmente conduzidos", disseram os chefes conjuntos em um comunicado.

Isso pode atrasar o plano do presidente Moon Jae-in de assumir o controle operacional dos Estados Unidos em tempo de guerra antes que seu mandato termine em 2022, dizem os especialistas.

A Coreia do Sul e os Estados Unidos cancelaram seus exercícios de primavera devido à pandemia.